“Escrever é um ato de coragem e publicar o que se escreve é um ato de loucura”, considerou Pedro Neves

O livro de poesia “Madrugada Fora – Nas Sombras da Noite”, editado pela Edições Toth, de Joaquim de Almeida foi lançado no domingo passado, dia 1 de dezembro, pelas 17h30, no café O Poeta sito no Parque Municipal Ferreira de Castro.
O lançamento contou com a apresentação de Pedro Neves, a declamação de poesia por Laurinda Seixas e música ao vivo com Carlos Pereira num ambiente “agradável” e “informal” em que estiveram presentes muitas pessoas não propriamente pela poesia, estilo literário de que “se gosta ou não”, mas pelo facto de “gostarem do autor”, disse Joaquim de Almeida ao labor.
Como este é “um livro de poesia faz todo o sentido ser apresentado num café cujo nome é ´O Poeta´ e que está localizado num parque com o nome de um grande escritor”, revelou o autor, natural da Vila de Cucujães, mas que viveu grande parte da sua vida em S. João da Madeira, daí considerar-se sanjoanense, deixando inúmeros agradecimentos desde amigos, familiares, com um dedicado em particular à sua esposa Cristina Neves, e a todos que permitiram a concretização daquele momento.
Entre os presentes esteve Rui Oliveira, em nome da Edições Toth, que foi “criada para apoiar escritores portugueses” como Joaquim de Almeida, a quem agradeceu pela “companhia que tem dado pelo país para a apresentação do seu livro que tem sido muito bem aceite”.
O papel atribuído pelo autor a Pedro Neves levou a que tivesse de sair da sua zona de conforto, tal como próprio admitiu, mas não foi por isso que deixou de adaptar um quanto baste de humor a este novo cenário. “O amor pela arte” uniu Joaquim de Almeida e Pedro Neves. O primeiro pela escrita e o segundo pelo humor. Para Pedro Neves, “escrever é um ato de coragem e publicar o que se escreve é um ato de loucura”. Porém, o humorista, no papel de apresentador, destacou a importância de alguém ter a coragem e a loucura de o fazer porque “encontramos nas palavras dos outros aquilo que vivemos”. Pedro Neves selecionou três poemas que de alguma forma têm “a ver com aquela que é a minha vida”. O primeiro de seu nome “mãe” que pode ser dedicado a todas as mães ou a todas aquelas que não sendo, agem e é como se o fossem. O segundo “adolescência” pelo facto de quando somos crianças tudo ser possível, destacando um dos versos: “a tua adolescência não é brincadeira” porque “será referência para a vida inteira”. E em terceiro o poema “Olhos Negros” pelas referências. Nem todos seremos capazes de transportar para o papel aquilo que pensamos e sentimos, mas “somos todos merecedores de viver aquilo que ele transporta para as palavras”, concluiu Pedro Neves.
A apresentação do livro terminou com a interpretação musical do poema “Pequena Ave” pelo músico José Luís Lemos.
Joaquim de Almeida já publicou os livros “Simplesmente Poesia” com edição da Corpos Editora em 2010, “Uma Cozinha Encantada” com edição da Chiado Editora em 2012 e “O Orelhas e O Vale Do Eduardo” com edição da Textos Livres Editora em 2018

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here