Jantar das famílias encheu o antigo quartel no passado sábado

 Neste último sábado à noite cumpriu-se uma tradição já com quase duas décadas. As famílias dos bombeiros voluntários de S. João da Madeira voltaram a reunir-se à mesa para celebrar o Natal. Neste jantar festivo, onde marcaram presença cerca de 230 pessoas, não faltaram os presentes para os mais novos, entregues pelo próprio Pai Natal, o bom humor trazido pela dupla Miguel e Ana e até os balões e as pinturas faciais das Manas Catitas.

No antigo quartel da Associação Humanitária viveu-se o verdadeiro espírito natalício prestando-se, ao mesmo tempo, o devido reconhecimento público aos “soldados da paz”, e também àqueles que ficam em casa (pais, namorado, namorada, marido, esposa, filhos, etc.), sabe Deus como, com o coração nas mãos, desejando que tudo corra pelo melhor.  Tanto Carlos Coelho como Normando Oliveira não pouparam elogios aos bombeiros e aos seus familiares. Até porque, como disse o presidente da direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de S. João da Madeira, “ninguém consegue ser bombeiro se não tiver suporte familiar”.

Presidente da direção quer “uma estátua a sério dedicada aos bombeiros”

Para Carlos Coelho “o trabalho dos bombeiros é muito difícil, bem como o dos órgãos sociais cuja “tarefa” de “arranjar cerca de um milhão de euros por ano para manter esta chama acesa não é fácil”. Na ocasião, aproveitando a presença dos representantes máximos do poder político local – os presidentes Clara Reis, da Assembleia Municipal, e Jorge Sequeira, do Município, bem como do vereador da coligação PSD/CDS-PP Paulo Cavaleiro, chamou à atenção para que já é “tempo de em S. João da Madeira alguém se lembrar de uma estátua a sério dedicada aos bombeiros para substituir a ‘estatuita’ que existe nas nossas imediações”.

Já o comandante Normando Oliveira, além de partilhar a atividade levada a cabo pelo seu corpo ativo até ao último mês (ver caixa), garantiu que “sempre confiei e irei confiar” nos aproximadamente 80 operacionais que o compõem. Segundo afirmou, “nada está acabado”, havendo “ainda muito por percorrer”.

Para 2020, “espero que não percamos ninguém nas nossas missões” e que “continuemos com este espírito de missão e a ter o suporte das nossas famílias”, desejou o chefe da corporação sanjoanense.

Jorge Sequeira renova compromisso de apoiar associação humanitária

Estar ali, naquele convívio, era para Jorge Sequeira, que pertence a uma família com ligações aos bombeiros, “motivo de grande honra e felicidade”, facto que fez questão de sublinhar quando subiu ao palco para intervir. Na qualidade de autarca e de também responsável máximo pelo Serviço Municipal de Proteção Civil, agradeceu o “trabalho dedicado, competente, exemplar e sempre presente” dos bombeiros da cidade, renovando o compromisso da edilidade de os apoiar.

Em seu entender, “a cidade ganha muito com os bombeiros voluntários”. “Eles são os nossos principais ativos”, reforçou a ideia.

 

Atividade dos bombeiros até 30 de novembro

6.969 serviços prestados

13.992 doentes sinistrados transportados

7.537 veículos

13.503 bombeiros

20.873 horas em serviços

237.245 quilómetros percorridos

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here