À semelhança do resto do país, a depressão Elsa também “fez das suas” no concelho de S. João da Madeira. Num só dia, 19 de dezembro, o Serviço Municipal de Proteção Civil registou 58 ocorrências, desde queda de materiais e equipamentos soltos, queda de árvores e inundações, confirmou Normando Oliveira, comandante dos Bombeiros Voluntários e Coordenador Municipal da Proteção Civil, ao labor.

Esta mesma informação viria a ser mencionada no período de antes da ordem do dia da última reunião de câmara por Jorge Sequeira quando fez o balanço deste “período crítico” para o Serviço Municipal de Proteção Civil. A todas as ocorrências registadas no dia 19 de dezembro em S. João da Madeira “foi dada uma resposta adequada” por parte do Serviço Municipal de Proteção Civil e das mesmas não resultaram feridos nem desalojados, afirmou o autarca.

Já sobre sexta-feira, o chefe do executivo municipal deu conta que “tivemos uma ocorrência grave no IC2”, referindo-se ao acidente mortal resultante da colisão de um ligeiro com um pesado de mercadorias. Na ocasião, além de agradecer a todos os envolvidos no Serviço Municipal de Proteção Civil, apelou “a todos para que mantenham a precaução e o alerta”.

Recordamos que o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) previu um agravamento das condições meteorológicas para a tarde do dia 19 de dezembro, nomeadamente nos distritos do Porto e de Aveiro, com precipitação forte e persistente, assim como rajadas de vento forte.

“Essa é uma previsão que abrange o concelho de S. João da Madeira, pelo que a Proteção Civil Municipal recomenda, especialmente a partir das 14h00, cuidados reforçados e atenção aos efeitos espectáveis desse estado do tempo”. “Existe a possibilidade de a chuva forte ser acompanhada de trovoada, sendo que as rajadas de vento, esperadas depois das 17h00, poderão atingir 100 quilómetros por hora e, no caso das terras altas, chegar a 140 km/h”, informou no próprio dia o Município em comunicado enviado ao labor.

Como se a depressão Elsa já não tivesse sido suficiente para provocar estragos, uma outra, de seu nome Fabien, chegou no sábado passado. As condições meteorológicas adversas previstas até às 12h00 do dia 22 de dezembro levaram o Serviço Municipal de Proteção Civil a emitir um aviso em que pedia à população para “não frequentar zonas de arvoredo, designadamente o Parque do Rio Ul, o Parque de Nossa Senhora dos Milagres e o Parque Ferreira de Castro”; “manter uma atitude preventiva e de precaução relativamente a equipamentos móveis ou amovíveis – esplanadas, andaimes, placards e outras estruturas suspensas – que necessitem de reforçar a sua fixação ou ser retirados”; e “praticar uma condução defensiva devido ao piso escorregadio”. Em caso de emergência, o Serviço Municipal de Proteção Civil pedia às pessoas para ligarem para o 112, os Bombeiros Voluntários ou para a Polícia de Segurança Pública.

Diana Familiar com Gisélia Nunes

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...