Nas zonas da cidade de S. João da Madeira onde está em marcha o novo sistema de recolha de resíduos domésticos recicláveis porta-a-porta, após a entrega de ecopontos (conjunto de três contentores) a já 1.000 famílias, vão ser retirados os contentores de uso coletivo, situados na via pública. Para Jorge Sequeira, “é este o caminho” a seguir, sendo certo, desde já, que “o potencial da separação de lixo vai aumentar”. Aliás, no entender do presidente da autarquia, “quanto maior é a recolha porta-a-porta maior é a separação e, por conseguinte, maior é a reciclagem”.

E, precisamente nesse sentido, “está para sair uma carta para apelar àqueles que não têm contentores domésticos [oferecidos pela autarquia]” à adesão ao sistema que está a ser implementado pelo Município com o apoio do Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos (PO SEUR).

Quanto ao pequeno comércio, em relação ao qual a munícipe Ana Couto perguntou se havia algum “regulamento” sobre esta matéria, Jorge Sequeira recordou que o “Comércio Verde” existe “justamente para os nossos comerciantes”. E por falar em comerciantes, o autarca referiu que estes “são muito importantes para o nosso ranking da separação”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...