Uma delas é a do rotavírus, atualmente financiada pelo Município, mas apenas para grupos de risco

 

O Plano Nacional de Vacinação (PNV) inclui as vacinas contra a meningite B, o vírus do papiloma humano (HPV) e o rotavírus a partir de outubro de 2020, anunciou no dia 27 de dezembro a Direção-Geral de Saúde.

Estas três novas vacinas visam prevenir a meningite B que pode causar a morte ou deixar sequelas graves nas crianças; evitar a infeção pelo vírus do HPV que é responsável pelo cancro do colo do útero e entre outros; e prevenir o rotavírus que é responsável pela gastroenterite aguda nos mais novos.

A vacina da meningite B vai ser gratuita para todas as crianças nascidas a partir de 1 de janeiro de 2019 e até aos cinco anos de idade; a vacina do HPV irá incluir todos os rapazes até aos 10 anos (atualmente só as raparigas beneficiam); e a vacina do rotavírus vai ser integrada no PNV, mas apenas para grupos de risco a definir em Norma da Direção-Geral da Saúde.

Município continuará, para já, com oferta da vacina

A Câmara Municipal de S. João da Madeira comparticipa a vacina contra o rotavírus – Rotarix (59,52 euros) e RotaTeq (51,18 euros) – que pode ir até duas ou três doses e os custos são suportados na totalidade pelo Município desde 2018 depois de ter assinado com as farmácias locais os protocolos do Programa de Vacinação Infantil.

DR

O Município paga a compra da vacina contra o rotavírus a todas as crianças nascidas desde o dia 1 de janeiro de 2018 dos agregados familiares residentes e recenseados e inscritos no Centro de Saúde da cidade.

Relativamente às notícias da integração da vacina do rotavírus no PNV, o Município “continuará, para já, com a oferta da mesma, considerando que a medida enunciada não será aplicada de imediato e que se dirige a grupos de risco”, esclareceu o próprio ao labor.

“Entretanto, será estudado o assunto com os técnicos de saúde com responsabilidade na matéria a fim de analisar e apontar, justificando, alternativas”, adiantou o Município.

“Em jeito de balanço, crê-se que este programa pioneiro de apoio à vacinação infantil implementado pela autarquia contém em si o êxito que se pretendia, pelo significativo alcance dos munícipes que, reunindo as condições de apoio, a ele aderiram, acreditando que o ato de vacinação poderá constituir um misto de direito e de dever para a saúde pública”, afirmou Irene Guimarães, vereadora da Saúde, considerando, em declarações exclusivas ao labor, que“existe, portanto, a satisfação de poder contribuir através de uma das formas mais eficazes e menos dispendiosas – a vacinação, concretamente contra o rotavírus, para a saúde das nossas crianças assim como o seu próprio bem-estar estar e o dos seus progenitores”.

As condições de acesso

Relembramos que os agregados interessados em usufruir deste apoio precisam de reunir algumas condições. A residência, recenseamento e inscrição no Centro de Saúde de SJM; não usufruir de outro tipo de apoio financeiro para o mesmo fim; não possuir dívidas para com o Município; e apresentar a prescrição médica da vacina pelo médico de família do SNS. Depois de reunir todas as condições, devem apresentar o pedido através de um formulário próprio disponibilizado pelos serviços de atendimento da CM de SJM. Os cidadãos devem estar acompanhados do Cartão de Cidadão e da prescrição médica da vacina.

 

Programa Municipal de Vacinação Infantil

74 crianças apoiadas em 2018

Investimento de 5.185,65 euros

120 crianças apoiadas em 2019

Investimento de 13.038,91 euros

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui