Esta última terça-feira, dois dias depois de a pista de gelo natural ter encerrado ao público, Jorge Sequeira referiu-se à grande atração da programação de Natal como “uma aposta ganha”. Não obstante toda a polémica que se gerou em torno do assunto, sobretudo por este equipamento de diversão não ter “cobertura” levando-o a não funcionar durante alguns dias devido à intempérie que, à semelhança do resto do país, também atingiu a cidade de S. João da Madeira, o autarca garantiu ao labor que“valeu a pena correr o risco”. 

Ele próprio, conforme afirmou ao nosso semanário, passou “por lá várias vezes” e viu na Praça Luís Ribeiro “muitas pessoas na pista e a frequentarem os cafés enquanto aguardavam pela sua vez para patinar”. Segundo dados apurados pela empresa e, entretanto, fornecidos à autarquia, foram 5.300 os “patinadores efetivos”. Destes 5.300 não se sabe, apesar de o labor ter questionado o Município, o número de sanjoanenses e de forasteiros nem quantos foram efetivamente os bilhetes oferecidos.

“Números não discriminados à parte”, Jorge Sequeira não tem dúvidas – e disse-o às jornalistas no final da reunião de câmara – que “houve aqui uma marca de inovação”. De acordo com “as informações que tivemos seria a primeira pista circular em Portugal”. Pista que, em seu entender, “se fosse se coberta perderia o encanto de todo aquele efeito decorativo”. “A cobertura seria uma megaestrutura que perturbaria funcional e esteticamente a Praça”, reforçou a ideia.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here