Se tem objetos ou histórias relacionadas com as indústrias do calçado, da Oliva e da Viarco passe por lá

Esta é a primeira edição em que o Município de S. João da Madeira organiza “Dias da Memória”, em parceria com a associação KEEP e a Oliva Creative Factory, mas é a segunda em que colabora com o projeto “Memórias para Todos” da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa que realizou um trabalho sobre a indústria chapeleira em conjunto com a empresa sanjoanense Cortadoria Nacional de Pêlo a propósito da comemoração dos seus 75 anos.

No âmbito do 8º aniversário do Turismo Industrial, a 23 de janeiro, o projeto “Dias da Memória” pretende “fazer a recolha de memórias industriais do concelho de S. João da Madeira. Neste ano vamos trabalhar especificamente as memórias da indústria do calçado, da Oliva e da Viarco”, avançou Alexandra Alves.

O objetivo é “poder imortalizar estas memórias dos mais antigos, os processos fabris, as rotinas de trabalhadores e de tudo que tem a ver com a nossa identidade relacionada com o trabalho e que é tão característica deste território de S. João da Madeira”, explicou a responsável pela Unidade de Turismo do Município aos jornalistas à margem da sessão de sensibilização junto da comunidade para depois ter ferramentas para explicar às pessoas em que é que consiste estes “Dias da Memória”, dirigida por Maria Fernanda Rollo, historiadora, professora universitária e diretora-geral do projeto “Memórias para Todos”, realizada dia 7 de janeiro na Torre da Oliva.

Depois de recolherem todos os objetos e testemunhos, a ideia é preservá-lo e imortalizá-lo. “Ele vai estar numa plataforma digital, para além de que todas estas memórias recolhidas poderão ser usadas mais tarde pelo Município nos museus ou para mais algum projeto que venha a desenvolver”, revelou Alexandra Alves acerca desta que é “uma plataforma pública, reconhecida a nível nacional pelo excelente trabalho de investigação que tem vindo a fazer e daí também nos termos associado a esta marca de investigação” até porque “o que também pretendemos é estar disponíveis online com o retrato da nossa história”.

“Este projeto só faz sentido se tivermos a comunidade connosco nestes três dias”

“Este projeto só faz sentido se tivermos a comunidade connosco nestes três dias”. “Poderem vir à Torre da Oliva com as suas recordações, documentos, fotografias para ser digitalizadas e para contar aos investigadores da universidade tudo o que sabem sobre a sua experiência de trabalho nos últimos anos nestas áreas de atuação”, concluiu a responsável pelo Turismo.

Os interessados em ver o trabalho realizado pelo projeto “Memórias para Todos” devem consultar o site www.memoriaparatodos.ptcujo mote é “Faça História Partilhando a Sua”.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui