O deputado Moisés Ferreira esteve esta segunda-feira na Escola Secundária Dr. Serafim Leite a debater questões relacionadas com a violência doméstica e no namoro.

Esta iniciativa, inserida no Parlamento Jovem, é promovida pela Assembleia da República, e tem por objetivo fomentar a participação dos jovens no debate de questões políticos e no seu envolvimento na procura de soluções e medidas legislativas.

O deputado deu a conhecer que “a violência doméstica é o crime que mais mata em Portugal e que é um crime que tem uma marca de género, uma vez que a esmagadora maioria das vítimas são mulheres. Nos últimos 15 anos foram assassinadas mais de 500 mulheres em contexto de violência doméstica. Para além destes homicídios, registaram-se mais 600 tentativas de assassinato e, como consequência, cerca de 1000 crianças ficaram órfãs de pelo menos um progenitor”, lê-se no comunicado enviado pela Concelhia do Bloco de Esquerda ao labor.

A violência doméstica é “um problema que existe e que persiste em Portugal e que exige a mobilização de toda a sociedade”, por isso, para Moisés Ferreira, são “necessárias mais medidas legislativas, mas não só. É preciso uma mobilização da sociedade para destruir o machismo e o preconceito da mulher como inferior ou como sexo fraco; é preciso ainda derrubar falsas crença como aquela que diz que ‘entre marido e mulher não se mete a mulher’”. Os jovens da Serafim Leite que concorrem este ano ao Parlamento dos Jovens apresentaram e debateram também algumas das suas propostas para combater a violência doméstica.

O deputado bloquista terminou a sua intervenção com o aviso de que “é preciso que toda a gente seja um agente político, que tenha opinião sobre os assuntos e que se bata pelas suas opiniões, que a cada geração se exige que transforme a sociedade e faça deste um mundo melhor” e é “isso que se espera destes alunos e desta geração: que combatam a violência doméstica, a violência no namoro e toda e qualquer forma de injustiça e desigualdade”.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui