E arrancará “muito brevemente”

Não só “já ocorreu a [sua] consignação”, como também, “muito brevemente, a obra estará no terreno”, avançou Jorge Sequeira na Assembleia Municipal da última segunda-feira relativamente à reabilitação do Mercado Municipal há muito ansiada. Nesta sessão extraordinária do órgão deliberativo foi aprovada por maioria com 12 votos a favor do PS, seis votos a favor da coligação PSD/CDS e uma abstenção da CDUa “autorização para a contratação de empréstimos de médio e longo prazo à Linha BEI [Banco Europeu de Investimento] PT/2020 – Autarquias, com o montante global de até 813.976,21 euros”.

Esta verba destina-se à contrapartida nacional relativa à concretização de quatro diferentes projetos da autarquia sanjoanense para a cidade, que contam com apoio da União Europeia através do Programa Operacional Norte 2020. Um desses projetos é o do Mercado Municipal, para o qual o Município pediu 317.387,63 euros para pagar a parte que lhe compete.

Recorde-se que com esta obra em concreto, pretende-se, como o labor já noticiou em edições anteriores, “intervir estruturalmente no Mercado Municipal e no recinto que o constitui, requalificando-o, modernizando-o e recentrando-o enquanto importante unidade comercial e ponto de referência de centralidade comercial, histórica, social, económica do concelho”, como se lê na memória descritiva.

A intervenção a realizar “visa a requalificação do Mercado e a aquisição de todos os equipamentos e mobiliário necessários, bem como a promoção da revitalização, dinamização e requalificação da atividade dos atuais operadores e retalhistas de produtos alimentares, complementando-a com a captação de novos operadores com outros tipos de comércio, produtos e serviços”.

Mais de 400 mil euros para ciclovias e passeios

As outras três operações são a criação de uma rede de ciclovias na zona envolvente ao Parque Urbano do Rio Ul, a melhoria de interfaces da rede de Transportes Urbanos de S. João da Madeira (TUS), assim como do respetivo sistema de informação aos utilizadores. Em relação à primeira, “o procedimento [concursal] foi anulado e, entretanto, já foi reaberto”, segundo o líder camarário.

Ainda de acordo com Jorge Sequeira, “esta empreitada [na Avenida do Vale e nas imediações] tem a denominação de ‘rede de ciclovias’, mas parte significativa é para passeios”. A câmara propõe “a intervenção ao longo da Avenida do Vale, da Rua Manuel Vieira Araújo e nas articulações com as ruas dos Ribeiros, das Águas e do Grupo Patriótico Sanjoanense”, junto ao Parque Urbano do Rio Ul, contemplando “a requalificação destas vias pela introdução de ciclovias, a construção de passeios e a implementação de medidas de acalmia de tráfego”. O orçamento previsto para a sua execução é de cerca de um milhão e 265 mil euros mais IVA. E, neste caso, o empréstimo pedido foi de 408.743,17 euros.

O objetivo é criar “condições para a utilização dos modos suaves nas deslocações intraurbanas”, assim como “resolver o problema da falta de passeios naquela parte da cidade”, garantiu o edil, em resposta a Jorge Cortez (CDU), para quem “temos péssimos passeios” e “as ciclovias [numa cidade com as caraterísticas de S. João da Madeira] não colhem o nosso apoio”.

Na ocasião, este comunista, que anda “com frequência no TUS, ainda referiu alguns “problemas” dos transportes municipais, entre os quais a sua “falta de pontualidade”.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here