Este foi um fim de semana intenso para a APROJ, que esteve em prova em várias frentes. Após alguns meses de voleibol, a equipa B de cadetes entrou em competição recebendo a AV Vila Real, num jogo onde se apresentou desfalcada, mas apresentando uma boa postura construiu uma vantagem inesperada no primeiro set. Mas a APROJ começou a revelar alguma impaciência e problemas técnicos que no segundo set afetaram a equipa. O terceiro parcial começou da mesma forma, mas as locais recuperaram alguma motivação, mas sem conseguir vencer. O resultado final seria de 0-3 a favor da equipa visitante, muito por causa da superioridade no momento do serviço, mas a APROJ mostrou que tem potencial.

Já as cadetes A alcançaram uma vitória inequívoca no reduto do RC Senhorense. As atletas de S. João da Madeira entraram concentradas e decididas a fazer valer as suas qualidades perante um adversário que nunca apresentou muitas dificuldades.

Com um serviço assertivo e uma boa transição ofensiva, a APROJ foi amealhando pontos, nunca permitindo à equipa adversária facilidades durante o primeiro set. No segundo, apesar de alguns erros técnicos e de serviço, as visitantes venceram, tal como o terceiro, onde voltou a apresentar um serviço forte e uma boa atitude ofensiva na rede.

No próximo dia 1 de fevereiro as cadetes A recebem, pelas 11h00, o vizinho CD Feirense.

Quem também conquistou três pontos foi a equipa de juvenis, que entrou em campo com a clara intenção de vencer a AR Canidelo. Inserida num grupo acessível, este adversário seria, à partida, o mais difícil, mas, ainda assim, a APROJ venceu uma equipa que também tem aspirações a lutar a lugares cimeiros. O jogo não foi sempre muito bem disputado devido às dificuldades inerentes da falta da distribuidora, e o ataque pouco assertivo, sendo que, muitas vezes, valeu mais a experiência e a astúcia técnica da turma sanjoanense.

Para o treinador Cláudio Laranjeira, o objetivo passa por ficar no primeiro lugar do grupo para depois disputar, pela primeira vez, um título para a APROJ.

Sorte diferente tiveram as juniores B, que cederam frente ao AVC Famalicão. O jogo frente ao primeiro classificado não se esperava fácil para a equipa de S. João da Madeira, mas as comandadas de Paulo Rocha, que se apresentaram desfalcadas, entraram na partida desinibidas, concentradas e dispostas a dar o seu melhor. A APROJ acabaria, no entanto, por ceder nos três sets, sendo que no último a turma sanjoanense chegou a estar em vantagem, por 21-20, mas depois de uma série de quatro receções falhadas e um serviço direto o AVC fechou com 25-21.

“Estou orgulhoso das meninas. O processo de construção de uma equipa continua a evoluir de forma muito positiva e isso começa a notar-se dentro de campo”, realçou o técnico, Paulo Rocha.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here