AD Sanjoanense, 3 – SL Benfica, 5

Jogo no Pavilhão da Associação Desportiva Sanjoanense.

Árbitros: Orlando Panza e Sílvia Coelho (AP Porto).

AD Sanjoanense: Tiago Freitas (GR), Alex Mount, João Lima, Tiago Almeida e Pedro Cerqueira

Suplentes: João Cruz, Pedro Rego, Hugo Santos, José Almeida e Marco Lopes (GR) (Capitão).

Treinador: Vítor Pereira

SL Benfica: Pedro Henriques (gr), Válter Neves (cap), Diogo Rafael, Lucas Ordoñez e Gonçalo Pinto.

Suplentes: Carlos Nicolia, Eduard Lamas, Jordi Adroher, Miguel Vieira e Marco Barros (gr).

Treinador: Alejandro Dominguez.

Ao intervalo: 2-4.

Faltas: AD Sanjoanense, 9 | SL Benfica,11.

Marcha do marcador: 0-1 por Carlos Nicolia (11’), 0-2 por Jordi Adroher (12’), 0-3 por Diogo Rafael (16’), 1-3 por João Lima (17’), 1-4 por Jordi Adroher (19’), 2-4 por Pedro Cerqueira (24’), 3-4 por Pedro Cerqueira (36’), 3-5 por Lucas Ordoñez (49’).

Motivada pela vitória na quarta-feira anterior diante do HC Braga, a Sanjoanense recebeu no último sábado o poderoso Benfica e obrigou os encarnados a sofrer até ao fim para saírem de S. João da Madeira com os três pontos.

O trabalho não se previa fácil para os alvinegros, que entravam no jogo desfalcados com as ausências de Facundo Navarro (castigado após vermelho na jornada anterior) e Xavier Cardoso (emprestado pelo SL Benfica), e na primeira parte um Benfica sólido, rápido e forte trouxe sérias dificuldades aos homens de Vítor Pereira, que aos cinco minutos já tinham visto Tiago Freitas negar por seis vezes a vantagem aos visitantes. Os encarnados pareciam cada vez mais perto do golo e depois de mais uma investida, com Lucas Ordoñez a enviar uma bola ao ferro, é Carlos Nicolia que, aos 11 minutos, responde a uma assistência de um colega de equipa para inaugurar o marcador. A Sanjoanense ainda se recompunha do primeiro e já sofria o segundo, com Jordi Adroher a aproveitar uma perda de bola dos alvinegros para se lançar ao ataque e ampliar a vantagem. Quatro minutos volvidos, numa jogada ensaiada, Diogo Rafael aponta o terceiro do Benfica, que pouco depois podia ter chegado ao quarto não fosse o espanhol falhar uma grande penalidade. A resposta dos alvinegros veio de seguida por intermédio de João Lima (1-3) e pouco depois Hugo Santos esteve perto do segundo dos locais, mas seria o Benfica a chegar novamente ao golo com Jordi Adroher a desenvencilhar-se da marcação e a bisar na partida com o quarto dos visitantes.

Já perto do intervalo, Pedro Cerqueira, de grande penalidade, deu mais algum alento aos alvinegros para a segunda parte.

Na etapa complementar a Sanjoanense entrou organizada e colocou o Benfica em sentido. Mais aguerrida, a equipa de Vítor Pereira entrou com vontade de recuperar da desvantagem e aos cinco minutos Alex Mount já tinha estado perto do golo por duas vezes, mas seria Pedro Cerqueira, aos 36 minutos, num remate já em desequilíbrio, a colocar a diferença mínima no marcador (3-4).

No último minuto da partida Lucas Ordoñez, a passe de Carlos Nicolia, bateu pela quinta vez Tiago Freitas, que foi um dos homens do jogo.

No próximo dia 1 de fevereiro a Sanjoanense desloca-se a Turquel.

Vítor Pereira – Treinador da AD Sanjoanense

“Foi um jogo com duas partes distintas. Uma primeira menos conseguida e uma segunda com mais alma, mais crer e acreditar. Acabámos por vencer a segunda parte, mas não foi suficiente para ficar com pontos e queríamos muito pontuar”. “Estamos focados no objetivo, que é a manutenção, praticar um bom hóquei e dignificar o nosso clube”.

Alejandro Dominguez – Treinador do SL Benfica

Foi um jogo muito complicado, com uma equipa muito trabalhada e num ambiente extraordinário, que motiva a equipa da casa e se torna difícil para a de fora”. “Defrontámos uma equipa com qualidade, intenção e um modelo de jogo bem defenido”.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui