Câmara investe 125 mil euros em programação cultural este ano 

 A câmara vai investir menos do que em 2019, ano “em que não executou a totalidade dos cerca de 150 mil euros previstos”. Mas o presidente garantiu aos jornalistas que em 2020 vão “manter a mesmíssima qualidade” em termos de programação cultural. Esta, segundo Jorge Sequeira, “será eclética, muito intensa e de muita qualidade”, “reforçando o papel da cultura na vida das comunidades e capacitando estas para consumos culturais exigentes e desafiadores”.

Também de acordo com o autarca, para quem “é mais importante investir na cultura e na educação do que pavimentar uma estrada”, a aposta na cultura tem sido “fortíssima” e “está a ser ganha, porque o público está a aderir”. Basta olhar para os números: só em 2019 a Casa da Criatividade e os Paços da Cultura receberam 136 espetáculos, “a esmagadora maioria indoor”, aos quais assistiram 35.985 espetadores (ver caixa).

Manel Cruz (6 de março), Dead Combo (15 de maio), Adriana Calcanhotto (7 de junho), Camané & Mário Laginha (25 de setembro) e GNR (9 de outubro) são apenas alguns dos protagonistas dos muitos espetáculos para diferentes tipologias de públicos programados para 2020, em que pela primeira vez a cidade vai celebrar o aniversário da Casa da Criatividade e também vai receber ópera, com “O Barbeiro de Sevilla, de Rossini” (ver textos secundários)

Havendo descontos para portadores do Cartão Amigo da Casa, os bilhetes já estão disponíveis para venda em www.bol.pt e em outros locais habituais, como os Paços da Cultura, a Torre da Oliva, etc., desde as 17h00 da passada sexta-feira, dia em que, pela terceira vez, o Município apresentou, em conferência de imprensa, a oferta cultural para todo o ano e, em simultâneo, abriu a bilheteira. “Foi uma inovação da nossa gestão”, recordou o autarca, acrescentando que isto representa “um grande esforço” da autarquia, nomeadamente da equipa da Casa da Criatividade/Paços da Cultura, bem como do departamento de comunicação, como, minutos depois, Gisela Borges, técnica camarária responsável pela programação, fez questão de referir.

Câmara quer “posicionar S. João da Madeira no circuito cultural nacional”

2020 será um “ano especial” por diversas razões. Para começar, são mais de 100 os espetáculos de música, teatro, dança, cinema, inclusive para crianças e famílias, que fazem parte de “um todo coerente que se encaixa e interliga entre si, numa linha estratégica que pretende posicionar S. João da Madeira no circuito cultural nacional”. E, nesse sentido, foi feita uma “aposta” em novos parceiros, com destaque para a Casa da Música, Associação Cultural Luís Lima e Câmara Municipal de Lisboa (iniciativa “Lisboa: Capital Verde Europeia 2020”), e “num maior envolvimento da comunidade”, através da colaboração da Academia de Música e do Coro de Câmara de S. João da Madeira, por exemplo.  Está já confirmado um concerto de Páscoa do Coro de Câmara com a Orquestra Barroca. E a Sinfonieta, composta por professores da Academia de Música, foi igualmente desafiada para uma atuação.

Depois, porque pela primeira vez o aniversário da Casa da Criatividade vai ser celebrado com um fim de semana de eventos diversificados. O programa comemorativo dos sete anos da maior sala de espetáculos da cidade inicia a 6 de junho, sábado, com um espetáculo dedicado a bebés e dois projetos musicais emergentes que nos chegam através de uma parceria com a Casa da Música. No domingo, dia 7, encerra com um concerto da artista brasileira Adriana Calcanhotto, como o labor noticiou em primeira mão na edição anterior.

Aniversário de Beethoven assinalado na cidade

Ao longo de 2020, para além de o tema “ambiente” ser transversal à programação através das conferências Pensar Futuro e de música para todas as idades, a dança vai estar em foco. Esta expressão artística vai ser celebrada em parceria com a Divisão do Desporto da edilidade, que promove a iniciativa “A Cidade Dança”’ e que se articula com a Casa da Criatividade em dois momentos do ano.

Nota ainda para “Last”, um espetáculo de dança contemporânea da Companhia Paulo Ribeiro de António Cabrita e da sanjoanense São Castro, com interpretação musical de Beethoven ao vivo, pelo Quarteto de Cordas de Matosinhos. Aliás, este compositor alemão vai ser também homenageado com um concerto comemorativo do seu 250º aniversário em dezembro.

Musicatos com maior destaque este ano

Projetos como o ciclo de conferências Pensar Futuro, que este ano se associa à iniciativa “Lisboa – Capital Verde Europeia 2020”, Novembro Jazz, Somos Nós, Cine S. João e Alternativa à 5inta” são para continuar, sendo que este último vai contar “com uma parceria com a Associação Luís Lima que fará a curadoria de dois momentos no programa”.

Já a XIV edição do Festival de Teatro de S. João da Madeira, a decorrer de 27 de março a 8 de maio, vai contar com cerca de 30 representações. A sessão de abertura acontece com “Nada a esconder”, a mais recente produção d’ A COMUNA, Teatro de Pesquisa. Deste festival também vão fazer parte masterclasses e performances fora dos auditórios. Ainda a propósito de teatro, S. João da Madeira assistirá em julho à comédia “E tudo o morto levou” com Marina Mota e em setembro a “O Programa da Faustina” com João Baião.

Quanto ao ciclo Musicatos, também já na sua 14ª edição, “passa a ter um maior lugar de destaque”. Jorge Sequeira adiantou que “vamos apostar mais na divulgação do Musicatos”. Aliás, o Musicatos até já tem uma nova imagem.

Mais informações em www.casadacriatividade.com.

 

Balanço de 2019

 136 espetáculos

Mais 31 espetáculos de programação própria do que em 2018

35.985 espetadores, mais 5.429 do que em 2018

21.320 espetadoresreferentes a programação própria do Município e 14.665 a cedências

18 salas esgotadas

84 mil euros de receita gerada

 

Espetáculo de Pedro Lamares e Lúcia Moniz abre Poesia à Mesa 

DR

“Para Atravessar Contigo o Deserto do Mundo”, protagonizado por Pedro Lamares e Lúcia Moniz, é o espetáculo que, dia 29 de fevereiro, pelas 22h00, na Casa da Criatividade, dá início à edição deste ano da Campanha Poesia à Mesa.

“A amizade de Sophia de Mello Breyner Andresen e Jorge de Sena é bem conhecida, até pelas cartas publicadas. Juntos, em separado, atravessaram o deserto de um país em ditadura. Sena exilou-se, Sophia ficou. Desse afastamento físico resulta a literatura epistolar da sua correspondência. Muito além da direta, há uma profunda correspondência de propósitos. A luta pela liberdade, pela ação, pela palavra. A Sophia é doce, mas não perdoa. Exige a verdade por inteiro para não habitar meio quarto. O Sena é duro e não perdoa. Lembra-nos os que foram estripados, esfolados, queimados, gaseados, e os seus corpos amontoados tão anonimamente quanto haviam vivido. Juntos, colocam-nos num lugar onde somos chamados a decidir, a questionar. Um lugar onde a indiferença se mostra imperdoável”, como se lê na sinopse facultada pela autarquia.

Esta peça, com duração de uma hora e para maiores de 16, é um exercício de intertexto. Intertexto entre dois poetas, entre dois atores, intertexto de afetos e uma luta comum, entre o mundo que temos e o que queremos.

 

Manel Cruz atua na cidade a 6 de março

DR

Dia 6 de março, Manel Cruz regressa à cidade de S. João da Madeira onde nasceu para um concerto que promete ser de arromba. A Tour Nedó é um circuito de concertos desta figura proeminente da música alternativa portuguesae da sua banda composta por António Serginho, Eduardo Silva e Nico Tricot, em auditórios. O repertório é um pretexto para se fazer e reinventar música, usando para isso desde o mais recente trabalho ao mais antigo, passando por temas inéditos e outros que nunca vão existir.

Marcado para as 22h00, na Casa da Criatividade, o espetáculo foi concebido especificamente para o tipo de espaço em questão e é para “comer tudo”. O custo dos bilhetes varia entre cinco e 15 euros.

 

Concerto de Adriana Calcanhotto assinala aniversário da Casa da Criatividade

DR

Em junho, mais concretamente no domingo dia 7, celebra-se o 7º aniversário da Casa da Criatividade com um concerto que encerra a digressão da cantora brasileira Adriana Calcanhotto pelo nosso país, como o nosso jornal adiantou em primeira mão na sua última edição.

Na Casa da Criatividade, a partir das 22h00, Adriana Calcanhotto vai dar a ouvir o seu novo disco “Margem”, com o qual fecha a trilogia marítima iniciada com “Marítmo” (1998), o primeiro que explicita a sua paixão pelo mar, e “Maré” (2008), seu sétimo disco, que reforça a ambiência oceânica.

“Margem” permite, em palco, o encontro destes três projetos marítimos, separados por dez anos cada um e por diferentes aventuras musicais entre eles.

Além do foco nestes três trabalhos, o espetáculo conta ainda com algumas canções de álbuns paralelos e com canções de Adriana Calcanhotto registadas por outros intérpretes , como é o caso de “Livre do amor”, que tem gravação antológica na voz de Gal Costa. Tudo isso na companhia de Bem Gil (guitarra, flauta), Bruno Di Lullo (baixo e synths) e Rafael Rocha (bateria e percussões acústica e eletrônica), o trio responsável pela bela sonoridade de “Margem”. Os bilhetes custam entre cinco e 25 euros.

 

Ópera pela primeira vez em S. João da Madeira

 No dia 12 de dezembro, pelas 21h00, S. João da Madeira recebe pela primeira vez um espetáculo de ópera. “O Barbeiro de Sevilla, de Rossini” foi a escolha do Município para esta estreia na cidade. Escrita no séc. XVIII, esta obra cómica é seguramente uma das obras musicais mais conhecidas do mundo e, sem dúvida, a mais conhecida do célebre compositor Gioachino Rossini (1792/1868).

A história desenvolve-se à volta de uma tentativa de sedução de uma bela Jovem chamada Rosina, por parte do jovem Conde de Almaviva, rico e belo. Existem várias personagens envolvidas na intriga, que se instala no enredo, mas sobressai a figura do Fígaro, barbeiro da cidade, que sendo casamenteiro, intriguista e mexeriqueiro vai criando grandes confusões, todas elas hilariantes. Como qualquer bela história de amor, esta não lhes fica atrás e a ópera acaba em bem com um feliz casamento do Conde de Almaviva com Rosina.

 

Novembro Jazz ainda mais internacional com Amaro Freitas e Lisa Bassenge

DR

Também em 2020,o Município dá continuidade ao Novembro Jazz, festival que pretende divulgar este particular género musical, reunindo, no palco da Casa da Criatividade, músicos de grande qualidade, nacionais e internacionais. Desta vez, a aposta é claramente num jazz mais puro, com desafios de programação que vão além-fronteiras. Entre estes, destacam-se os espetáculos do brasileiro Amaro Freitas (dia 6) e da alemã Lisa Bassenge (dia 21).

A agenda do Novembro Jazz vai contar também com mais momentos ao longo do mês, com novos segmentos para diferentes públicos, com uma dimensão formativa, sendo ainda intenção da autarquia envolver a comunidade num espetáculo único de encerramento: Tributo a Frank Sinatra com a participação de alunos e professores de S. João da Madeira e a Orquestra Jazz do Porto.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui