Ao longo de quase um mês e custará cerca de 30 mil euros ao Município 

A programação da 18ª edição da Poesia à Mesa, que começa a 29 de fevereiro e prolonga-se até 21 de março, foi apresentada esta terça-feira de manhã em conferência de imprensa realizada na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo.

Um dos locais por onde passam muitos dos momentos deste projeto camarário em que a poesia desperta os sentidos de todos aqueles que se cruzarem com ela nos mais diversos contextos em S. João da Madeira.

Os seis poetas homenageados deste ano são Andreia C. Faria, Fernando Assis Pacheco (1937-1995), Herberto Helder (1930-2015), Mafalda Veiga, Mário-Henrique Leiria (1923-1980) e Soror Violante do Céu (1601-1693). Um dos conceitos da Poesia à Mesa tem sido descobrir e dar a conhecer novos poetas. E assim pretende continuar. “Claro que sim”, respondeu Patrícia Correia, coordenadora da Poesia à Mesa em conjunto com Graça Neves, à questão colocada pelo labor. Uma resposta que contou com a concordância do presidente da câmara Jorge Sequeira e do comissário da poesia Paulo Condessa.

Os materiais de divulgação do evento – aventais, bases de copos e pratos, sacos para o pão e lápis – voltam a ter o rosto dos poetas homenageados e a programação da Poesia à Mesa. A organização deste projeto municipal terá “um custo de cerca de 30 mil euros”, adiantou Jorge Sequeira depois de questionado pelo nosso jornal.

A programação desta edição da Poesia à Mesa é “como em todos os outros anos verdadeiramente espetacular”, considerou Jorge Sequeira, destacando “o leque de poetas que é admirável”.

Para o presidente da câmara, este é, sem dúvida, “um dos mais importantes festivais literários do país pela dinamização que traz à cidade e pela envolvência da população”.

A Poesia à Mesa é “dos mais originais” e “dos mais completos” festivais literários a nível nacional, começou por dizer Jorge Sequeira e complementou Paulo Condessa.

Poema de poetisa homenageada foi lido pela Ministra da Cultura na Viarco em 2018

Entre os poetas homenageados, destaque para as duas mulheres. A primeira, Andreia C. Faria, pelo facto de pertencer a uma nova geração de poetisas e por um dos seus poemas – “Tão Bela Como Qualquer Rapaz” – ter sido declamado por Graça Fonseca, ministra da Cultura, em cima de uma mesa na fábrica Viarco, em S. João da Madeira, durante a celebração do Dia Mundial da Poesia em 2018. Na altura, Graça Fonseca justificou a escolha deste poema e desta poetisa com o facto de dar voz a uma “nova geração, ou seja, mais jovem” de poetas. A segunda, Soror Violante do Céu, por ter um intelecto fora do comum entre as mulheres da sua época que a consagrou como poetisa e escritora não só em Portugal, mas também além-fronteiras. “A Soror é uma descoberta por não estarmos habituados a poesia do século XVII” e “o Português naquela altura era diferente”, esclareceu Paulo Condessa. Os restantes poetas homenageados são quatro homens, todos eles dotados de uma história e de um dom com as palavras que para sempre estará eternizado nas suas obras.

Peregrinação com Mafalda Veiga e Serão com Ana Deus e João Paulo Esteves da Silva

A Poesia à Mesa estará sempre associada a dois momentos tradicionais que são a Peregrinação Poética e o Serão Poético. O primeiro contará com a presença de Mafalda Veiga, que é considerada uma das mais conceituadas cantautores portuguesas e que juntará a sua voz aos grupos poéticos sanjoanenses (Associação de Promoção da Juventude, Universidade Sénior, Associação Cultural Luís Lima, CERCI, Associação de Jovens e Ecos Urbanos e Teatro Oliveira Júnior a quem se junta o grupo A Bem Dizer), e terá início às 21h30, do dia 20 de março, à saída da Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo. O Serão Poético contará com Ana Deus (ex-membro dos Ban e dos Três Tristes Tigres) e João Paulo Esteves da Silva (docente da Escola Superior de Música de Lisboa, poeta, tradutor e compositor) no dia 21 de março, pelas 22h00, nos Paços da Cultura. Neste serão informal, orientado por José Fanha, também ele comissário da poesia, Ana Deus, cantora, compositora e performer poética, escolherá os poemas a que dará voz, acompanhada do som repleto de emoção do piano de João Paulo Esteves da Silva.

Em relação à escolha dos protagonistas do Serão Poético que são conhecidos do público, mas talvez não tanto como figuras que foram convidadas em outros anos, a explicação é muito simples. “Não tem o protagonismo de fama, mas da palavra e da poesia”, afirmou Patrícia Correia. Esta foi “uma aposta não no mediatismo, mas na especialização do profissionalismo. Os dois são pessoas que, independentemente do mediatismo, são protagonistas do programa que vão fazer. Ela é uma das melhores ´diseures´ que mistura a palavra e o canto, acompanhada por música que está sempre a mudar e a dar vida a uma coisa diferente”, acrescentou Paulo Condessa à questão colocada pelo labor.

O comissário acredita que este será “um espetáculo muito forte” e tem a certeza de que a Poesia à Mesa é “um festival em constante mutação”.

Poetizando com José Fanha e Fernando Alves

Depois da primeira edição de “Poetizando” que juntou José Fanha e Joaquim Pessoa, um dos poetas homenageados na Poesia à Mesa em 2017, o Município decidiu voltar a dar continuidade a esta conversa informal dois anos depois. A diferença é que, desta vez, José Fanha não estará acompanhado de um poeta, mas de um agente de divulgação desta forma de arte. Estamos a falar do radialista Fernando Alves, autor do programa SINAIS e editor das manhãs da TSF. Para além da poesia em geral, vão conversar sobre a poesia e as palavras de Francisco Assis Pacheco, um dos poetas homenageados este ano, em particular.

 

Turno da Noite na Viarco é uma das novidades deste ano

A criação de um turno da noite em que os trabalhadores não trabalham, apenas dizem poesia, é uma das novidades da Poesia à Mesa deste ano e realiza-se no dia 11 de março, pelas 21h30, na Viarco.

Um momento que será protagonizado pelos operários da empresa sanjoanense em conjunto com o performer Paulo Condessa e o guitarrista Sérgio Correia. Ambos formam o duo poético “Dois Líricos”. As informações relativas à inscrição nesta iniciativa vão ser reveladas oportunamente pelo Município de S. João da Madeira.

Poesia continua a ser servida nos restaurantes…

Quem quiser fazer parte desta experiência apenas tem de almoçar ou jantar de 12 a 21 de março nos restaurantes Tudo Aos Molhos, Neptúlia Bar, Oliva Palito, Bacana, Mutamba, Taberna do Zé, Bonzão, Harpa Fénix, Aconchego do Quintal, Ideias Café, Bistrô da Dona Isa, Restaurante Almeida e Scarpa Caffe. Sendo que os últimos três aderem pela primeira vez ao festival onde a poesia é servida literalmente à mesa.

…nas empresas, nos TUS, no Mercado e no Centro de Saúde

O poder da poesia é tal que vai levar a que as máquinas parem por momentos para que seja dita poesia de 12 a 19 de março em algumas empresas sanjoanenses. Isto vai acontecer pela primeira vez na Project ID e Cortadoria Nacional de Pelo que se juntam à Flexitex e à Academia de Design e Calçado. A poesia volta aos transportes públicos no dia 7 de março, pelas 11h00, através do grupo de teatro Sérius. E também volta no dia 14 de março, pelas 10h00, ao Mercado Municipal e nos dias 18, às 10h00, e 19, às 14h30, ao Centro de Saúde.

 

Abertura do Festival de Poesia

Com o espetáculo “Para atravessar contigo o Deserto do Mundo”, com Pedro Lamares, que regressa assim à Poesia à Mesa depois de já ter sido o seu comissário, e Lúcia Moniz a celebrarem a amizade entre Sophia de Mello Breyner e Jorge de Sena, no dia 29 de fevereiro, pelas 22h00, na Casa da Criatividade.

 

Poesia na Corda

Os estendais trocam a roupa pelos poemas de 3 a 21 de março na Praça Luís Ribeiro e no Centro Comercial 8ª Avenida. O concurso, organizado pela Associação de Jovens Ecos Urbanos e pela Biblioteca Municipal, é aberto a toda a comunidade. A cerimónia de entrega de prémios está marcada para 17 de abril, às 18h00, na Biblioteca Municipal.

 

Exposição de Diana Costa na Biblioteca Municipal

A inauguração da exposição de pintura “Duomo” de Diana Costa está marcada para o dia 6 de março, pelas 18h00, na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo. A partir de 2 de março, pode ser visitada uma outra exposição, desta feita bibliográfica, “De Passagem…Pela Poesia dos Cantautores”, neste mesmo espaço municipal.

 

Oficinas Poéticas nas escolas

O festival poético chega ainda na forma de oficinas poéticas às escolas do 1º ciclo de 9 a 13 de março. Ao longo desta semana, um performer lê poemas de uma forma diferente e libertadora.

 

Apresentação de três livros na Biblioteca Municipal

No âmbito da Poesia à Mesa, o livro “Os Dias são Assim” de Ana Oliveira vai ser apresentado por Cristina Marques no dia 6 de março. A esta junta-se mais duas apresentações. A do livro “Manual da Solidão” do sanjoanense Tiago Moita vai realizar-se a 12 de março.  Já a conversa à volta dos livros de João Habitualmente e Emanuel Madalena tem lugar a 13 de março. Os três momentos realizam-se às 21h30 e na Biblioteca Municipal.

 

Tertúlia dos Poetas Sanjoanenses

A tradicional Tertúlia dos Poetas Sanjoanenses volta a evocar os poetas nascidos e residentes em S. João da Madeira e os presentes. O momento começará com um momento musical proporcionado pela Academia de Música no dia 16 de março, pelas 18h00, na Biblioteca Municipal.

 

Lançamento de “Relatos de Rendição” de Budapala

O lançamento de “Relatos de Rendição” de Budapala, nome que foi dado a Paulo Condessa por um mestre tibetano, realiza-se no dia 18 de março, pelas 21h30, nos Paços da Cultura. A celebração destes três livros ficará marcada pela leitura com taças tibetanas e contará com uma conversa em que participará Cristina Marques.

 

Tertúlia das Fugas Poéticas

A próxima reunião mensal dos amantes da poesia é dedicada ao programa do festival poético e acontece no dia 19 de março, pelas 21h30, no Clube de Chá junto ao Hospital na Avenida Dr. Renato Araújo.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui