Não só no corso carnavalesco, mas também na assistência

O “Carnaval com Arte” contou com cerca de 2.000 participantes que desfilaram desde o Hospital e a Misericórdia até ao Mercado Municipal pela Avenida Dr. Renato Araújo, passaram pela primeira vez na Rua Combatentes da Grande Guerra e na Rua Oliveira Júnior e terminaram na Praça Luís Ribeiro, à semelhança do que aconteceu em 2018 e 2019.

“O percurso do Carnaval sofreu uma alteração de fundo quando fizemos com que concluísse na Praça” e “essa opção, do meu ponto de vista, tem sido um êxito, é para continuar e vai continuar enquanto este executivo perdurar e tivermos condições para que a Praça acolha o encerramento do percurso do Carnaval”, disse o presidente da câmara, à margem do evento, aos jornalistas.

Em relação à mais recente alteração do percurso com a passagem nas ruas Combatentes da Grande Guerra e Oliveira Júnior, “no ano passado já tencionávamos que o percurso fosse por ali, mas não foi possível porque havia obras na zona da CUF”, esclareceu Jorge Sequeira.

“Cardadores de Vale de Ílhavo” deixaram “uma marca muito positiva”

O balanço do Carnaval deste ano é “muito positivo”. “Penso que o desafio que a câmara lançou da arte como fonte de inspiração para o Carnaval foi profundamente conseguido”, “as escolas aderiram de forma muito significativa” e “o público aderiu em força”, indicou o presidente da câmara, assumindo ter ficado com “a sensação empírica e pessoal de que este ano tivemos mais público nas ruas”.

O Município decidiu continuar com a aposta de trazer convidados especiais para o Carnaval. Os “Cardadores de Vale de ílhavo” foram a presença especial deste ano e deixaram “uma marca muito positiva” depois de terem sido convidados o “Dragão Chinês” em 2019 e os “Caretos de Podence” em 2018. O principal objetivo é “ter grupos convidados no Carnaval que realcem as tradições populares nacionais e estrangeiras ligadas a este tipo de festejos”, afirmou Jorge Sequeira.

“A pegada ecológica do nosso Carnaval reduziu significativamente”

O Carnaval de 2019 foi o primeiro “EcoEvento” municipal ao substituir a distribuição de garrafas de plástico por copos biodegradáveis que podiam ser enchidos pelos aguadeiros ou nos postos de abastecimento colocados ao longo do percurso do corso carnavalesco. A aposta na transformação dos eventos municipais em eventos ecológicos continuou ao longo do ano passado. “Cremos que distribuíamos 1.600 garrafas de plástico e estabelecemos uma rutura com essa prática no Carnaval, no Andebolmania e na Poesia à Mesa. Portanto, a pegada ecológica do nosso Carnaval reduziu significativamente. E isso é muito importante” numa altura em que “vivemos em emergência climática”, concluiu o presidente da câmara municipal sanjoanense.

 

 

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui