AD Sanjoanense, 1 – FC Felgueiras 1932, 4

Jogo no Estádio Conde Dias Garcia.

Árbitro: Hélder Marques, auxiliado por Luís Castainça e Rui Crisóstomo (AF Viseu).

AD Sanjoanense: Diogo Almeida, Daniel (Juninho, 20’), Rúben, Godinho, Gil Barros, George, Edson (Ibraim, 20’), Ricardo, Elder, Paulinho, Belkheir.

Suplentes: Rui Mota, Barbosa, Bruno Amorim, Jota, Rui Faria, Ibraim, Juninho.

Treinador: Sérgio Machado.

FC Felgueiras 1932: João, Rúben Ramos, André Rodrigues, Miguel Pereira, Hélder Pedro, Sidney, Mário Sérgio, Pedro Ribeiro (Pedro Leite, 64’), Bruno Silva (Jorge Azevedo, 73’), Pedro Marques, Rúben Alves (Miranda, 82’).

Suplentes: Rui Queirós, Pedro Lopes, Jorge Azevedo, Miranda, Sardinha, Pedro Leite, Rui Costa.

Treinador: Nuno Andrade.

Ação disciplinar: Cartão amarelo para: Pedro Ribeiro (12’), Bruno Silva (40’), Ricardo (47’ e 53’), Rúben (62’). Cartão vermelho para Ricardo (53’).

Marcha do marcador: 0-1 por Miguel Pereira (21’), 1-1 por Belkehir (28’ gp), 1-2 por Miguel Pereira (48’ gp), 1-3 por Rúben Alves (63’ gp), 1-4 por Rúben Alves (68’).

Ao intervalo: 1-1.

A Sanjoanense voltou a perder com o Felgueiras, com um resultado quase idêntico ao da primeira volta (4-0) e onde, à semelhança deste encontro, também terminou reduzida a 10 elementos.

A jogar em casa perante um estádio quase despido, os alvinegros procuravam reagir a dois empates e uma derrota, mas tiveram algumas dificuldades para impor o seu futebol frente a um adversário que dominou grande parte do encontro e num jogo que ficou marcado por várias decisões polémicas da equipa de arbitragem.

Entrou melhor a formação visitante, que começou a criar perigo logo nos instantes iniciais com um livre direto de Bruno Silva que obrigou Diogo Almeida a uma excelente estirada para segurar o resultado.

Os homens de Sérgio Machado tentavam reagir e Belkehir ainda chegou com perigo à baliza de João, que negou o golo ao francês, mas aos 21 minutos o Felgueiras alcançava a vantagem. Miguel Pereira, a passe de Hélder Pedro, deixa dois adversários para trás e remata para uma defesa incompleta de Diogo Almeida, que viu a bola parar quase em cima da linha de golo. Mas com a defesa alvinegra atrasada, um último esforço de Miguel Pereira foi suficiente para chegar a tempo para empurrar a bola para o fundo das redes.

O resultado não interessava à Sanjoanense que na procura da igualdade acaba por conseguir uma grande penalidade após uma falta sobre Godinho e que Belkehir não desperdiçou, deixando tudo em aberto para a segunda parte.

Contudo, a etapa complementar começou praticamente com o segundo golo dos visitantes, num lance mal avaliado pelo árbitro da partida, quando num pontapé de canto um homem do Felgueiras remata contra o peito de Ricardo, e o juiz do encontro assinala penalti por entender que houve mão na bola. Miguel Pereira assumiu a responsabilidade e da marca de grande penalidade colocou os visitantes novamente em vantagem.

A Sanjoanense tentou responder, mas cinco minutos depois a expulsão de Ricardo deixava a equipa da casa condicionada. Em inferioridade numérica as dificuldades dos alvinegros para chegar à baliza visitante foi maior perante um adversário que ia criando algumas oportunidades. E se aos 15 minutos André Rodrigues assustou com um remate de longe que obrigou Diogo Almeida a desviar para canto, aos 17 o Felgueiras aumenta a diferença na conversão de outra grande penalidade, mais uma vez muito contestada pelos alvinegros.

Abalados, os locais não conseguiram reagir à desvantagem e cinco minutos volvidos veem os visitantes chegarem ao quarto, com Rúben Alves a aproveitar o passe de um colega para se desmarcar e fechar a contagem.

A Sanjoanense podia ter reduzido em tempo de compensação, mas Juninho atirou ao lado.

Os alvinegros somam, assim, o quarto jogo consecutivo sem vencerem e no próximo domingo têm uma deslocação difícil a Lourosa, equipa que ocupa o segundo lugar com 11 pontos de vantagem sobre o conjunto de S. João da Madeira.

ADS queixa-se da arbitragem e apela à concentração e responsabilidade dos árbitros

Depois de mais um jogo em que o árbitro do encontro acabou por ser a figura principal, com algumas decisões que parecem ter contribuído para a pesada derrota dos alvinegros, a Sanjoanense Futebol, SAD emitiu um comunicado relativamente ao jogo com o FC Felgueiras 1932 onde refere que quer acreditar que “os erros” se deveram a “uma tarde desinspirada do trio de arbitragem”. “Tal como um jogador falha um remate infalível, tal como um guarda-redes não defende a bola que era dele, também os árbitros podem, aqui e ali, falhar no julgamento certeiro de determinados lances”, referem os responsáveis pela Sanjoanense Futebol, SAD, que apelam “ao respeito mútuo” entre todos os intervenientes desportivos para que o Campeonato de Portugal não se adultere.
No entanto, num comunicado que pretende servir de alerta, até para as “entidades competentes”, a Sanjoanense Futebol, SAD destaca um penalti por assinalar a Elder Santana, duas grandes penalidades contra a ADS, uma em que a bola bate no peito de Ricardo, e outra assinalada num lance que considera “duvidoso”, bem como o quarto golo do Felgueiras é “precedido de falta clamorosa” sobre Elder Santana.

Sublinhando que o clube tem adotado uma “postura de respeito”, em particular pelas “equipas de arbitragem”, a Sanjoanense Futebol, SAD apela aos “dirigentes federativos competentes e aos árbitros para que a concentração e responsabilidade seja máxima por forma a que os erros sejam mínimos”.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here