Esta sexta-feira, às 21h30, na Biblioteca Municipal 

 

A participação de Ana Oliveira na Poesia à Mesa tem sido como mera espetadora. Apenas nos últimos dois anos é que a docente e escritora natural de Arrifana (Santa Maria da Feira) foi mais além, participando, também, no concurso Poesia na Corda. Mas em 2020, nesta que é a 18ª edição do festival literário de S. João da Madeira, o caso muda de figura.

Este ano, Ana Oliveira é uma das autoras em evidência. Amanhã mesmo, dia 6 de março, pelas 21h30, na Biblioteca Municipal Dr. Renato Araújo, esta professora de Português e também bibliotecária a exercer no Agrupamento de Escolas João da Silva Correia lança o seu sexto livro, contando com a sua grande “amiga de há muitos anos” Cristina Marques, professora de Literatura e crítica literária, para o apresentar. A escritora confidenciou ao labor ter ficado “admirada quando soube que o lançamento [do livro] estava integrado no programa [da Poesia à Mesa]”. “Foi uma surpresa e, claro, é uma honra muito grande”, referiu ainda ao nosso jornal.

“Os dias são assim”, com edição da CoolBooks (chancela digital da Porto Editora), compila “12 contos escritos há alguns anos”. “Estavam guardados no computador quando decidi juntá-los e agora vão sair”, disse Ana Paula ao labor, acrescentando que “alguns deles estavam num livro que tentei publicar, para aí há três, quatro anos, como diário juvenil, mas este foi um projeto que acabou por não ir para a frente”. Nesta obra, como se lê na sinopse, “os dias são assim, cheios de histórias. De amores e desamores. De encontros e desencontros. De lutas, fracassos, mas também conquistas. Os dias são assim, cheios de vidas”.

Em “Os dias são assim” encontramos “reflexões sobre a vida” nas quais “a morte está presente, porque faz parte da vida”. Trata-se de “situações que acontecem todos os dias, que estão debaixo dos nossos olhos”. “São contos com mensagens simples, para fazerem refletir, e que têm finais surpreendentes. O surpreendente está no fim”, como fez questão de chamar à atenção a autora desta obra para adolescentes e adultos que conta com ilustrações da professora de Educação Visual Isabel Pelaez, que foi já quem ilustrou a capa do seu penúltimo livro “Em poucas palavras”, composto por 77 microcontos, com 77 palavras exatas cada um. Aliás, Ana Oliveira adiantou ao nosso semanário que no final da sessão desta sexta-feira vai desafiar “os leitores a descobrirem quais são os contos verdadeiros, os de ficção e os que são uma mistura do real com ficção”.

Embora ainda não se saiba datas, depois de S. João da Madeira, estão previstas apresentações na Fnac GaiaShopping em Vila Nova de Gaia; na livraria “Doninha Ternurenta” em Ovar; na Biblioteca Municipal Ferreira de Castro em Oliveira de Azeméis; Escola Básica e Secundária de Búzio em Vale de Cambra.

Ana Paula Oliveira é também autora d’ “O Santo Guloso”, “escrito propositadamente para contar aos mais novos a história de Santa Maria da Feira, das fogaças, do feriado de 20 de janeiro”; do conto “Palavras à solta” que faz parte da antologia de seis contos premiados “Papá, só mais uma”; do conto “Nyambura”, incluído na antologia 39 Poemas & Contos Contra o Racismo; e de “Em poucas palavras”. Relativamente a esta última publicação, surgiu na sequência de um desafio lançado pela escritora e bloguer Margarida Fonseca Santos, como o labor já noticiou em edição anterior.

 

 

 

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here