Mesmo com o Governo a garantir que não há razões para isso, a “corrida desenfreada” aos supermercados, como descreveu uma das clientes ao labor, já dura há vários dias e é para continuar. Massas, arroz, sal, produtos de higiene, álcool e gel desinfetante são os artigos mais procurados. Já para não falar no tão propalado papel higiénico, que desaparece das prateleiras, sabe-se lá porquê, e que é motivo de piadas nas redes sociais.
Presentemente, em S. João da Madeira, as lojas de alimentos e produtos domésticos serão, juntamente com as farmácias, os locais mais procurados, ao ponto de se formarem filas consideráveis, que só mesmo visto! E ainda mais agora que, com o evoluir da pandemia Covid-19 no nosso país, os vários grupos de supermercados decidiram implementar medidas extraordinárias. Estas, por exemplo, no caso do grupo Jerónimo Martins, foram tomadas “por tempo indefinido, nos escritórios centrais e nas lojas e centros de distribuição em todo o país”, levando ao fecho das lojas Pingo Doce, no máximo, às 19h00 e das lojas Recheio às 16h00.
É o que já está a acontecer nos Pingo Doce da cidade, com o da Rua Visconde a funcionar das 9h00 às 17h00 e o de Casaldelo das 11h00 às 19h00. Além de uma redução do horário de funcionamento, também os colaboradores já estão a trabalhar em equipa e de forma rotativa.
De igual modo, e isto desde o passado domingo, as lojas Lidl encerram às 19h00 e têm o acesso às suas instalações limitado. Limitação que acontece igualmente no Continente.
Para segurança de todos, a Sonae MC decidiu que o número de clientes em cada loja será controlado, não devendo ultrapassar as quatro pessoas por cada 100 m2. Além disso, está a acautelar distâncias de segurança entre os clientes, que estão devidamente assinaladas nas lojas (por exemplo, junto aos balcões de atendimento e às caixas). Dar prioridade ao fornecimento de bens de primeira necessidade, não alterar os preços dos produtos nem as promoções previstas e não restringir o número de produtos que cada um pode adquirir são outras das medidas em curso no Continente, cujas compras online são mais do nunca uma boa opção nos tempos que correm.
Alinhando pelo mesmo diapasão, está ainda a Mercadona, com loja aberta na cidade há poucos meses e, neste momento, a funcionar das 9h00 às 19h00. Também esta cadeia espanhola de supermercados tem definidas condições de entrada nas suas lojas (0,04 clientes por metro quadrado de área, o que equivale a 80 clientes numa sala de vendas de 2.000 metros quadrados) e uma distância mínima de um metro entre as pessoas.

Entre as recomendações gerais para os clientes estão: apenas uma pessoa deve realizar as compras, evitando-se idas ao supermercado em família, com crianças ou em grupos; as compras não devem ser realizadas por pessoas que façam parte dos possíveis grupos de risco (idosos, crianças, pessoas com doenças crónicas, etc.), comprar ao longo do dia e não à hora de abertura do estabelecimento; não armazenar produtos desnecessariamente, uma vez que o abastecimento de produtos de primeira necessidade está totalmente garantido; e pagar preferencialmente com cartão e evitar o uso de dinheiro em efetivo.

Entretanto, a Mercadona atualizou as medidas que já havia adotado na passada segunda-feira, completando-as com outras que entram em vigor esta quinta-feira, conforme avança em novo comunicado enviado ao nosso semanário. Assim, a partir de hoje, idosos, pessoas com deficiência/mobilidade reduzida, grávidas e acompanhantes necessários passam a ter prioridade para realizar as suas compras. Além disso, também procedeu à instalação de gel desinfetante e papel em cada supermercado para que os clientes possam limpar o manípulo do carrinho, reforçando a sua higiene.

 

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui