Os outros oito utentes e duas funcionárias encontram-se, fechados, em quarentena 

 

Era utente do Lar Residencial da Cerci a primeira vítima mortal por Covid-19 em S. João da Madeira. A informação foi dada ao labor esta última terça-feira não pela autoridade de saúde local nem pela câmara municipal que, até à passada segunda-feira à noite, não tinham confirmado qualquer morte no concelho, mas pelo próprio presidente da direção da Cooperativa para Educação e Reabilitação de Cidadãos com Incapacidades.
Precisamente na segunda-feira e na sua página do Facebook, na qual tem vindo a fazer uma atualização diária dos números de casos, o Município fazia o seguinte esclarecimento: “A câmara municipal não divulga o número de óbitos e de recuperados relativamente a S. João da Madeira, porquanto esses dados não lhe são fornecidos pela autoridade de saúde local e a autarquia apenas se pode basear em informação dessa entidade”. E no dia seguinte o gabinete de comunicação camarário viria a informar o nosso jornal que o autarca, Jorge Sequeira, já tinha apresentado condolências à família do utente e que “está a acompanhar pessoalmente, assim como vários serviços da câmara, a situação da Cerci”.

Doente deu entrada “com suspeita de pneumonia”

Em declarações ao nosso jornal, António Cunha disse que a vítima era um homem natural de Sever do Vouga, de 62 anos, que deu entrada a 18 de março no Hospital de S. Sebastião e que viria a falecer no passado domingo. Segundo o responsável, este utente, que “já tinha complicações de saúde”, foi encaminhado pelo médico de família para a unidade hospitalar de Santa Maria da Feira “com suspeita de pneumonia”. Isto, depois de a Cerci ter tentado interná-lo num hospital privado.
“Sabíamos que estava bastante constipado. Mas, para nós, era mais uma crise [como outras que já tinha tido]”, contou António Cunha ao nosso jornal, acrescentando que só souberam que, afinal, estava infetado por Covid-19 após realização do teste no “S. Sebastião”.

“Lar fechou no dia seguinte” ao internamento

Mesmo antes de saber da gravidade da situação, o presidente da Cerci tomou logo medidas, em articulação com a autarquia e o delegado de saúde. Conforme assegurou ao labor, “o Lar fechou no dia seguinte” ao internamento do doente e “todas as pessoas que estiveram perto dele estão em quarentena”. Entre estas, estão os restantes oito utentes e as duas funcionárias que se encontram fechados no apartamento, nas imediações da Praça Barbezieux, onde a Cerci tem a funcionar esta resposta social.
Também encerrado está o edifício principal da Cerci. A decisão do seu encerramento foi tomada na sequência do que aconteceu com os estabelecimentos de ensino, como justificou António Cunha. Aproveitando o fecho, a instituição está a levar a cabo, neste momento, “uma desinfeção total” das suas instalações.

Presidente da direção garante que apenas nove dos 36 funcionários estão a trabalhar

Ao nosso jornal, também na terça-feira transata, chegou uma denúncia anónima dando conta que, mesmo depois de ter fechado a CERCI, “os funcionários estão todos a trabalhar e que lhes disseram que têm de continuar a trabalhar normalmente”. Questionado sobre o assunto, António Cunha disse tratar-se de “uma pura mentira!”.
Reafirmando que “todas as pessoas que estiveram perto dele [do utente entretanto falecido] estão em quarentena”, o líder diretivo assegurou que, neste momento, estão a trabalhar cinco colaboradoras na CERCI, duas no Lar Residencial e outras duas se encontram em teletrabalho. Ou seja, apenas nove dos 36 funcionários da instituição estão ao serviço. E isto porque “tenho de ter pessoal a trabalhar para assegurar os serviços mínimos”, chamou à atenção António Cunha.

 

Cerca de 20 infetados por Covid-19 internados no “S. Sebastião”

Ao que o labor conseguiu apurar junto do Centro Hospitalar de Entre o Douro e Vouga (CHEDV), até a manhã desta última terça-feira, eram cerca de 20 as pessoas infetadas com Covid-19 que estavam internadas no Hospital de S. Sebastião. Unidade hospitalar que, segundo a mesma fonte, tem aproximadamente 27 camas destinadas a doentes com o novo coronavírus, que poderão vir a ser mais, “em caso de necessidade”.

 

Número de casos de Covid 19

 

Concelho (até dia 24)

1 óbito
4 confirmados
21 em vigilância
15 suspeitos

Fonte: Autoridade de saúde local (exceto informação relativa ao óbito)

País (até dia 25)

43 óbitos
2.995 confirmados
21.155 suspeitos
22 recuperados

Fonte: Boletim COVID-19 da DGS

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira o seu comentário!
Por favor, insira o seu nome aqui