Tanto a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) como a Associação de Futebol de Aveiro (AFA) cancelaram todos os campeonatos (futebol e futsal) de formação por considerarem que, não havendo ainda perspetivas para estarem reunidas as condições para um regresso seguro da atividade desportiva, a proteção da população, em particular dos jovens, era uma prioridade. A Associação Desportiva Sanjoanense reconhece as dificuldades que o desporto atravessa, no entanto, Élio Almeida, admite que o departamento de futebol de formação do clube alvinegro “não concorda com esta tomada de posição, nomeadamente da AFA”. “Não tiveram o cuidado de ouvir os clubes e tentar arranjar solução para uma decisão que consideramos extremamente importante, uma vez que não será possível acabar os campeonatos”, explica o coordenador, que considera que o “ideal seria aguardar até ao final do mês” uma vez que a deliberação “não olha pelos interesses dos clubes que trabalham na formação”. “Tomaram esta posição, mas ao nível de seniores dizem que vão analisar, ouvir clubes e associações e depois decidir. No fundo encostaram a decisão da formação de uma forma simples e rápida”, lamenta Élio Almeida que relativamente ao facto de não haver lugar a subidas ou descidas, nem a designação de um campeão “é a decisão mais fácil que podiam tomar”. “Haveria certamente uma decisão que seria mais correta, pois na próxima época iriam criar a 2.ª Divisão Nacional de iniciados e juvenis e poderiam ajustar. Nos juniores poderiam ter mais equipas em cada série na 2.ª Nacional e no ano seguinte faziam o acerto. Penso que assim seria mais lógico”, refere Élio Almeida, que considera que a deliberação não é a mais favorável para o futebol de formação da Associação Desportiva Sanjoanense. “Desportivamente temos a noção que somos prejudicados. Será frustrante para os atletas que andavam na luta por objetivos e, assim, não vão ver o seu trabalho a ser recompensado”, destaca, explicando que os juniores lideravam o campeonato e eram “o grande candidato”. Nos juvenis estávamos próximos do primeiro enquanto nos iniciados contávamos com apenas três pontos de atraso relativamente ao primeiro, além que teríamos que jogar contra o líder, sendo que na primeira volta ganhámos, em casa, por 3-0. Nesta época desportiva estávamos encaminhados para o sucesso, na próxima será tudo novo e as gerações serão diferentes”, acrescenta o coordenador, que financeiramente refere que o impacto “está a ser analisado”, sublinhando, no entanto que o departamento de futebol de formação do clube alvinegro “tem noção da responsabilidade perante os patrocinadores”. “É óbvio que esta pandemia nos vai trazer muito prejuízo”, confessa, dando como exemplo o Torneio de Petizes e o ADS Cup, que estão em vias de não se realizarem.

Com tudo em suspenso e sem previsão para o início do regresso à normalidade, Élio Almeida considera que “ainda é precoce começar a pensar em datas para ao início da nova época”, mas revela que a Sanjoanense “já está a começar a preparar a próxima temporada”, de forma a garantir o mesmo trabalho e qualidade que o clube vinha a realizar. “Felizmente o clube tinha um projeto que vai no terceiro ano e, no fundo, é só dar continuidade”, conta, sublinhado que face à paragem forçada e prolongada na próxima época os cuidados terão de ser redobrados para “prevenir eventuais lesões”.

Admitindo que o momento que se vive pode trazer muitas dificuldades financeiras para alguns clubes, Élio Almeida espera, no entanto, “sirva para que percebam que a formação tem que ter regras” e garante que a Sanjoanense “vai continuar a trabalhar de forma séria e honesta”, apelando para que o clube continue a apoiar a formação “Já lhe deu muitas alegrias”, conclui o coordenador.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here