Na semana passada já foram entregues mais de 40 a diversas instituições. Neste momento, a lista de pedidos ultrapassa os 90 

O projeto de apoio aos profissionais de saúde no combate à COVID 19, lançado a partir do Agrupamento de Escolas Dr. Serafim Leite (AESL), nomeadamente através da construção de máscaras de proteção e outros componentes em impressoras 3D, ganhou novos adeptos e novo impulso.
Neste momento a colaborar na impressão 3D, estão o AESL, Agrupamento de Escolas Joaquim Araújo – António Soares, o ISPGAYA, o Agrupamento de Escolas da Murtosa – Manuel Arcêncio, a Escola Secundária de Arouca e Daniel Fonseca, este último a título particular, como refere o gabinete de comunicação do agrupamento sanjoanense em nota enviada ao labor, acrescentando que o projeto se reorientou para o fabrico de viseiras. Tal acontece, porque estas são “o material que está a ser necessário com maior urgência e a ser pedido por toda a gente que está na linha da frente”, como diz o comunicado.
Presentemente, a lista de pedidos ultrapassa as 90 viseiras, havendo, por isso, necessidade de estabelecer prioridades e também de arranjar mais colaboradores. “Os ficheiros com as componentes a imprimir serão dados a todos os que se juntarem a nós nesta causa nacional”, informa o AESL.

“Neste momento, temos mais de 600 folhas de acetato que foram oferecidas”

Ainda segundo o mesmo texto recebido pelo nosso jornal, as viseiras são constituídas por suporte, acetato para a viseira e clip que permite fixar o acetato ao suporte, sendo que “os acetatos e elásticos estão a ser doados por muita gente que tem colaborado massivamente”. Aliás, “neste momento, temos mais de 600 folhas de acetato que foram oferecidas”, conforme adianta o AESL, para o qual “a única limitação é [mesmo] o tempo de impressão que, em média, leva duas horas por máscara e não se pode estar a imprimir 24 horas em contínuo para evitar sobreaquecimentos”.
“Limitações de tempo à parte”, durante a semana passada, foram entregues mais de 40 viseiras a diversas instituições. A saber: Santa Casa da Misericórdia da Murtosa, AVELAB (Ovar e Murtosa), Funerária Conde (Monte), Centro de Saúde de Paramos, Lar de Idosos “Vida Nova”, Hospital de Ovar, Cruz Vermelha de Sanguedo, Hospital Santos Silva (Gaia) e Centro Social de Pardilhó. E, entretanto, o AESL recebeu uma mensagem que faz questão de tornar pública através do labor: “A equipa do meio INEM Suporte Imediato de Vida (SIV) de Arouca agradece e congratula o Agrupamento de Escolas Dr. Serafim Leite e o professor Marco Vasconcelos pela oferta de viseiras”.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...