Através de operação de testes rápidos coordenada pela câmara municipal com o apoio do Centro Médico da Praça

A primeira ação prática desta operação aconteceu esta última segunda-feira de manhã, dia 6 de abril, na Santa Casa da Misericórdia, onde o Centro Médico da Praça realizou testes rápidos de rastreio à Covid-19 a 40 funcionários do Lar de São Manuel, da Unidade de Cuidados Continuados e da Casa de Repouso que prestam cuidados diretos aos utentes e doentes e que entraram esta quinta-feira ao serviço para cumprir um turno de quinze dias, substituindo a equipa que terminou a sua quinzena.

Apesar dos “testes sorológicos não terem o elevado nível de fiabilidade dos testes com zaragatoas”, o facto de terem sido feitos e de terem dado todos negativo não deixa de ser “um descanso, mas não é absoluto e as pessoas têm de continuar a ter todos os cuidados ao nível da segurança e higiene”, esclarece Vítor Gonçalves, diretor de serviços da Misericórdia, ao labor.

Em relação ao resultado negativo de todos os testes, “ficámos muito satisfeitos que assim tivesse acontecido,” porque “conseguimos transmitir uma segurança muito grande a todos os que estão na Santa Casa da Misericórdia”, considerou o Provedor Pais Vieira, reforçando a mensagem transmitida por Vítor Gonçalves de que é preciso “continuar a manter todos os cuidados de segurança e higiene”.

Ao doar os testes rápidos realizados aos 40 trabalhadores da Santa Casa da Misericórdia, “apenas fizemos o nosso papel social que visa contribuir para o bem comum” e “sempre que nos for possível o cumpriremos”, disse Américo Sá, administrador do Centro Médico da Praça, ao labor.

O lote de testes comprado pela câmara municipal permitirá incluir nesta operação os funcionários da Associação do Centro de Apoio aos Idosos Sanjoanenses (ACAIS) que prestam apoio domiciliário a idosos, bem como os da Cooperativa para Educação e Reabilitação de Cidadãos com Incapacidades (CERCI) que prestam assistência a utentes que ainda estão ao cuidado desta instituição, estando “a ser programada” a sua realização, deu a conhecer Jorge Sequeira sem adiantar, para já, mais pormenores.

Nesta operação também estão incluídos os Bombeiros Voluntários de forma a garantir a operacionalidade dos elementos da corporação que igualmente desenvolvem uma atividade de risco no âmbito do combate à pandemia.

A câmara municipal decidiu coordenar esta operação de testes rápidos, através da Proteção Civil Municipal, em articulação com outras instituições e entidades, “por um lado, para assegurar a operacionalidade dos bombeiros voluntários, e, por outro, porque é sabido que há uma especial necessidade de proteção dos utentes dos lares, que devido à sua idade, são mais vulneráveis”, afirmou o presidente Jorge Sequeira ao nosso jornal.

O sentimento de impotência é o que melhor descreve esta doença insidiosa”

Apesar do Governo ter iniciado no dia 31 de março uma operação de testes de despistagem da Covid-19 em lares de idosos de todo o país, uma semana depois continuamos sem saber quando é que a mesma chegará ao Lar de São Manuel da Santa Casa da Misericórdia em S. João da Madeira.

Desde o dia 31 de março continuamos sem nenhuma indicação”, revelou o diretor de serviços da Misericórdia, demonstrando preocupação em relação a este compasso de espera numa altura em que “o tempo é precioso”.

Embora esteja consciente de que tem sido feito tudo o que está ao alcance da Misericórdia no combate à Covid-19, “o sentimento de impotência é o que melhor descreve esta doença insidiosa”, confessou Vítor Gonçalves ao labor.

Já o presidente da câmara assumiu que “estamos à espera que esta operação chegue ao terreno”, mas não sem salientar o facto de que “sabemos que nenhum país do mundo estava preparado para esta pandemia nem teria stock para fazer estes testes de imediato”.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here