O desporto vive, nesta altura, um momento inédito. Com o cancelamento de praticamente todas as competições, os clubes viram a época terminar de forma prematura e muitos dos objetivos ficarem pelo caminho. Foi o que aconteceu com o futebol de formação da Associação Desportiva Sanjoanense, que estava a realizar uma boa temporada em praticamente todos os escalões. Mas o clube alvinegro não perdeu tempo e a estrutura diretiva já trabalha afincadamente “há várias semanas”, na preparação da nova época, que irá contar com um quadro técnico renovado. “Apostamos na continuidade dos projetos e das pessoas e todos os treinadores foram convidados a continuar, mas, infelizmente, alguns tinham outros objetivos e pretendiam outros projetos para o futuro”, explica Élio Almeida, agradecendo, no entanto, todo o trabalho e dedicação que demonstraram. “Começamos por renovar com fisioterapeutas e responsável pelas instalações e definimos os novos coordenadores para a próxima época. Depois definimos todas as equipas técnicas, assim como os treinadores de guarda-redes que vão trabalhar no nosso departamento ao longo da época 2020/2021”, revela o coordenador, sublinhando que “já está definido como será constituído todo o departamento do futebol de formação da Sanjoanense”, que mantém todo o quadro diretivo. E o futebol de 11 conta com três novos treinadores. “Renato Ribeiro, que trabalha na formação há vários anos e com resultados reconhecidos, vai orientar a equipa de sub17, enquanto Samuel Nunes, que iniciou a carreira há 16 anos na Sanjoanense e nos últimos foi campeão de Aveiro em vários escalões, sendo reconhecida a sua qualidade como treinador e orientador de jovens, vai assumir os sub14. Nos sub18 teremos o Quim Pedro, ex-atleta do clube, que vai conseguir transmitir a estes jovens a verdadeira mística do que é jogar na Sanjoanense. Já no futebol de 7 fizemos algumas alterações, pois alguns treinadores ou vão fazer uma pausa na sua carreira ou pretendiam projetos de futebol de 11. A experiência e juventude dos nossos treinadores deixa-nos confiantes no futuro”, explica Élio Almeida, que acredita que os elementos para a próxima temporada “vêm acrescentar” qualidade para uma nova época que se espera que decorra dentro da normalidade possível, depois das mudanças que a pandemia impôs às rotinas quotidianas.

Confiante que o arranque oficial da próxima temporada da Associação de Futebol de Aveiro “será semelhante à época passada, sem setembro”, o coordenador acredita que “os treinos individualizados, sem contacto entre atletas” poderão “começar em breve”. “Só para ganharem confiança e começarem a normalizar o seu dia-a-dia”, frisa Élio Almeida, assegurando que numa fase inicial é necessário “começar com grupos mais reduzidos de atletas e só uma equipa em cada campo”. “Para além das regras que já devem fazer parte das nossas rotinas, como a lavagem regular das mãos e o distanciamento entre pessoas, os atletas não poderão contactar entre eles e deverão tomar banho em casa”, acrescenta, reconhecendo “que será muito difícil regressar à normalidade que conhecíamos”. “Enquanto não existir uma vacina será difícil pensar que voltaremos a ser o que éramos. O distanciamento social e as regras básicas vão continuar e vai existir alguma desconfiança no nosso dia-a-dia”, acrescenta o coordenador, que admite a possibilidade de uma “segunda vaga” da pandemia.

E depois de uma época que tinha tudo para ser de sucesso para o futebol de formação da Associação Desportiva Sanjoanense, os objetivos para a nova temporada não sofrem alterações. “Voltaremos a trabalhar para colocar os escalões nos campeonatos nacionais, que é o lugar onde a Sanjoanense pertence”, destaca Élio Almeida, realçando que o clube vai manter o foco em “formar atletas e homens para o futuro”.

Torneio de Petizes e ADS Cup cancelados

Para além do cancelamento de quase todas as competições, foram muitos os eventos desportivos que tiveram o mesmo desfecho. Entre eles estão o Torneio de Petizes e o ADS Cup, promovidos pelo departamento do futebol de formação do clube alvinegro, iniciativas que esta época, segundo Élio Almeida, “iriam ter uma vertente social”. “Iriamos ajudar quem mais precisava”, frisa o coordenador, reconhecendo que financeiramente o cancelamento dos torneios “é uma perda grande”. “Trabalhamos muito para a realização dos eventos e financeiramente contribuíam para cumprir o orçamento da época”, explica, acrescentando que “o clube devia começar a pensar em ajudar a secção de futebol formação de uma forma séria e imediata”. “Não podemos continuar a trabalhar diariamente sem o apoio do responsável pelo clube”, refere, recordando que o futebol de formação da Sanjoanense movimenta cerca de 350 atletas. “É um dos clubes mais representativos de Aveiro e precisa do apoio que tem direito e que tem que ser canalizado para esta secção, o que não tem acontecido”, conclui.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here