Depois de ter suspendido o pagamento da renda dos espaços concessionados destinados a estabelecimento comercial de café, restaurante e bar durante o encerramento obrigatório da sua atividade de 17 de março até 17 de maio, a Câmara Municipal de S. João da Madeira decidiu reforçar o seu apoio ao isentá-los do pagamento da renda de maio e ao propor que seja aplicada uma redução de 25% ao valor da renda até ao fim deste ano.

Desde o encerramento obrigatório até então “não foi cobrada qualquer renda, mas a questão que se coloca neste momento é que vão reabrir com redução de lotação” depois terem estado dois meses com “faturação zero”, constatou o presidente da câmara, Jorge Sequeira, sobre esta que será uma nova realidade e que justifica o reforço do apoio a estes estabelecimentos. Uma proposta que mereceu a concordância da coligação PSD/CDS-PP com a ressalva de que seja feita uma reavaliação da limitação de pessoas nos espaços ao longo do ano. Estes apoios foram aprovados por unanimidade pelo PS e pela coligação PSD/CDS-PP e vão ter um impacto de 5.954,55 euros na receita municipal.

Benefícios estendidos ao Mercado, Centro Coordenador e Oliva

A câmara municipal também aprovou por unanimidade alargar o conjunto de benefícios aprovados na reunião de câmara de 14 de abril para o Mercado Municipal e o Centro Coordenador de Transportes até ao fim do estado de calamidade, 31 de maio, e ao longo dos dois meses seguintes. Já os apoios atribuídos aos incubados na Oliva Creative Factory estendem-se até ao fim do estado de calamidade e mês seguinte.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here