A minha coluna

0
108

ACABEM COM A PANDEFILA…

Em fase de desconfinamento ou lá o que chamam a esta coisa de se tentar voltar à normalidade, não se percebe ainda por que razão continua a ser exigido aos cidadãos ficar, em longa fila, do lado de fora do mercado. Bom ou mau, renovado ou não, o edifício do Mercado Municipal é talvez o espaço de venda mais arejado das redondezas o que, por si só, proporciona uma natural “higienização” ou “arejamento” que não existe em espaços fechados. Pela experiência visual e de frequência do espaço, penso que talvez seja tempo de se tomar decisão menos penalizadora de quem necessita de ir ao mercado e de quem nele tem o seu sustento acabando também com o labirinto dos acessos pelo parque de estacionamento. A menos que continue a ser uma moda de especial gosto dar uso aos coletes cor de laranja!

Balha-me Deus!

 

E OS ANIMAIS, SENHOR?

E por falar em mercado… Uma das prioridades eleitorais de que me recordo era a de reavaliação da questão de comercialização de animais vivos com a criação de condições para que a frequência do equipamento se fizesse em condições de conforto e higiene para clientes e trabalhadores, bem como com o respeito pela dignidade dos animais. Pelo que temos visto não tem havido novidades nesta matéria e os cidadãos continuam a observar que os animaizinhos continuam a ser expostos e comercializados exatamente como sempre, em gaiolas que fazem revisitar as imagens que vimos na televisão do famoso “mercado de Whuan”…

Balha-me Deus!

 

E o PANDECÁ??

E por falar em animais, onde anda o PAN? A nível nacional estamos a começar a assistir ao início do fracionamento deste jovem partido que se implementou na sociedade pelas causas “naturais” que defendia. O seu principal eurodeputado, foi-se! Notícias de hoje, quarta-feira, indiciam mais saídas de outros elementos em rutura com a direção atual. E esta, secundarizando as suas lutas principais – animais, natureza, etc… – ” tem agora como preocupação principal o protagonismo de liderar legislação feita “à alfaiate” para impedir o Centeno de ser governador do BdP quando o homem foi, talvez, apenas o melhor ministro das finanças do país e até serviu para liderar o Eurogrupo. O PAN (e outros com idênticas “culpas no cartório”) acham que não e, esquecendo problemas como o dos animais nas “gaiolas de Whuan” deixou para trás a sua simpática luta pela bicharada. Afinal onde anda, principalmente, o PAN de cá?

Balha-me Deus!

 

POR ÚLTIMO…

Apetece-me colocar um anúncio no jornal a dizer “OPOSIÇÃO – PRECISA-SE”. É que não há poder forte e competente sem oposição forte. Ou competente, pelo menos. Estou a referir-me à oposição a nível local, claro. As suas grandes lutas são as arvorezinhas “doentes” da Praça e um ou outro reparo de um detalhe do parcómetro… Por amor da Santa! Arranjem uma oposição de jeito. Para o ano há autárquicas e o horizonte não tem sequer um esboço do que pode surgir como alternativa… O poder precisa de alternativa. Em democracia é assim. Mesmo para quem a não deseja. Mas ela é necessária para tornar mais saudável o exercício do poder. E há por aí tantas lutas a desenvolver, tantas perguntas a fazer, tantas injustiças instaladas a eliminar! Será que querem mesmo que o anúncio se publique ou estão a pensar chamar alguém de volta?

Balha-me Deus!

 

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here