Árvores Depois de ter recebido informação sobre a situação fitossanitária das árvores que foram abatidas na Praça Luís Ribeiro, Paulo Cavaleiro, vereador da coligação PSD/CDS-PP, pediu para ter acesso ao relatório sobre o levantamento geral fitossanitário da cidade. “O relatório que existe é o que foi enviado”, disse o presidente da câmara, Jorge Sequeira, explicando que tiveram “uma colaboração da UTAD” que indicou “alguns profissionais qualificados para fazer um contrato com vista a fazer essa avaliação geral”, mas a pessoa convidada “acabou por não aceitar”. O que levou Paulo Cavaleiro a dizer estar “surpreendido por não existir esse relatório (geral)”.  “As árvores têm sido abatidas por terem problemas fitossanitários” e “o facto de não termos esse relatório fitossanitário geral, que nunca existiu em S. João da Madeira, não nos deve impedir em casos de urgência manifesta de tomar decisões que acautelam a segurança das pessoas”, ripostou Jorge Sequeira, reforçando que “não vamos paralisar quando os nossos recursos próprios, atendendo à sua experiência, dizem que as árvores são um perigo para as pessoas ou os problemas sanitários justificam a  sua substituição”. Isto “sem prejuízo de noutras situações terem tido opiniões externas”, concluiu.

Parcómetros O vereador da oposição, Paulo Cavaleiro, alertou para a existência de “vários parcómetros avariados na cidade” pelo que sabem devido a “um problema de falta de peças” que é “difícil regularizar” devido ao facto destes equipamentos terem “muitos anos”. Neste momento, “as pessoas têm de se deslocar para encontrar um parcómetro (quando estacionam junto a um que não funciona) para pagar o estacionamento”, constatou Paulo Cavaleiro, lamentando que a concessão que prevê a renovação da forma de pagamento do estacionamento esteja atrasada, o que “não é bom para ninguém”, e, por isso, sugeriu ao Município que avance com “o investimento”.

O presidente da câmara, Jorge Sequeira, confirmou que existem “alguns equipamentos avariados devido à antiguidade e ao desgaste com o tempo”. Contudo, esclareceu que “já antes de tomarmos posse alguns parcómetros avariavam” e que “as avarias são um fenónemo recorrente em qualquer equipamento”. Por isso, o que é “forçoso é repará-los e é o que fazemos”, assegurou Jorge Sequeira. O presidente não teve em consideração o investimento imediato na renovação tecnológica do pagamento, mas garantiu que “a câmara está a preparar a concessão de estacionamento à superfície e subterrâneo em que as soluções de pagamento eletrónico vão ser implementadas”.

Covid Pela coligação PSD/CDS-PP também chegou a informação de que “a partir dos próximos dias os cidadãos que tiverem algum sintoma (relacionado com a Covid-19) não podem deslocar-se ao Centro de Saúde de S. João da Madeira, mas ao de Vale de Cambra”, o que a ser verdade, a seu ver, “não faz sentido nenhum”. A câmara municipal confirmou ter conhecimento e estar a acompanhar a situação que se encontra “em análise”, uma vez que a unidade de saúde de Vale de Cambra dispõe de espaços livres que não são usados para os cuidados de saúde normais, revelou Jorge Sequeira.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here