Para além de ceder parcela de terreno

 Já está aprovada, por parte do Município, a cedência do direito de superfície de um terreno para ampliação do edifício da ACAIS – Associação do Centro de Apoio aos Idosos Sanjoanenses localizado junto ao Centro de Saúde de S. João da Madeira. Segundo o presidente da câmara municipal (CM), “falta tão somente fazer a escritura”.

Para além disso, e como adiantou Jorge Sequeira na sessão da Assembleia Municipal (AM) da passada segunda-feira, “também já foi afirmado o compromisso político de, à semelhança do que tem sido feito com outras instituições, atribuir uma comparticipação financeira para a construção do próprio edificado”. Apoio que, como deixou claro o autarca, “será analisado em função do projeto, das comparticipações e dos custos que isso venha a ter”.

“Nós fazemos uma avaliação profundamente positiva do trabalho social que a ACAIS faz” nas suas valências de centro de dia e apoio domiciliário (AP), disse ainda, destacando o AP por permitir que “muitas pessoas estejam em suas casas, que não sejam institucionalizadas”.

“Urge expandir as instalações existentes”

Jorge Sequeira respondia assim a Manuel Luís Almeida que aproveitou o ponto da “apreciação da informação escrita do presidente” para fazer saber que “todos vocês [maioria e oposição que compõem o executivo] merecem um aplauso”. Na Casa da Criatividade e minutos antes da intervenção do edil, este membro da AM havia se dirigido ao púlpito para falar não só em nome da coligação PSD/CDS-PP, pela qual foi eleito, mas também enquanto elemento da atual direção da ACAIS.

“Nem sempre a oposição critica ou discorda das medidas tomadas por quem exerce o poder”, o que era o caso. “Estamos regozijados com os acordos entre a câmara e a ACAIS e a câmara e a Universidade Sénior”, uma vez que, “de uma assentada, o executivo resolveu vários assuntos”, afirmou, acrescentando que “no que à ACAIS diz respeito sentimo-nos gratos”.

Para Manuel Luís Almeida, “urge expandir as instalações existentes, porque a ACAIS tem 50 utentes no centro de dia e 89 em apoio domiciliário”. Em seu entender, “os utentes precisam [pois] de espaço” e a instituição precisa da edilidade. “O projeto está em andamento; faremos as candidaturas possíveis”, mas também “precisamos do apoio da autarquia”, defendeu.

Recorde-se que, para além do terreno, a CM cedeu instalações, na Praça da República, à ACAIS para a sua valência do Protocolo de Rendimento Social de Inserção (RSI), que até então funcionava num imóvel na Rua Alão de Morais, nas imediações da Esquadra da PSP, como o labor noticiou em edições anteriores.

Ainda em relação ao novo espaço da ACAIS, importa salientar que foi preparado de forma a que o serviço de RSI possa dispor de uma área administrativa e uma área técnica, bem como de uma outra, desta feita, de atendimento às 89 famílias que são acompanhadas atualmente.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here