Piscinas Comparando com o que se está a passar em outros municípios da Associação de Municípios das Terras de Santa Maria, a que Jorge Sequeira preside,a coligação PSD/CDS-PP não concorda com o encerramento das piscinas municipais exteriores durante este verão. “Como é que a câmara estimula atividades no Parque do Rio Ul [local onde, em seu entender, é mais difícil ‘controlar’ o número de pessoas] e não abre as piscinas?”, perguntou Paulo Cavaleiro, para quem “era melhor ter o equipamento a funcionar”, mesmo com muito menos pessoas, do que não ter. Porque, como argumentou o vereador da oposição, “aqueles que não forem para as piscinas vão juntar-se noutros sítios”.

Acontece que, segundo o líder da autarquia, “não é possível comparar estes eventos”. “O que vai acontecer no Parque são [na maioria] iniciativas que já vêm acontecendo com limitação de pessoas” e outras acontecerão mediante “solicitação de bilhete” prévia e “com assistentes a controlar”. Jorge Sequeira lembrou ainda que o Município de Espinho também optou por não abrir as piscinas e, também, deu nota que “a nossa decisão teve o apoio do coordenador municipal de proteção civil e do delegado de saúde”.

Ação Social Escolar Foi aprovada por unanimidade, esta última terça-feira, em sede de executivo municipal, a atribuição da primeira tranche dos subsídios aos três agrupamentos de escolas

(AE) para que os alunos do concelho possam fazer face às despesas com a aquisição de material escolar. Ao todo, nesta primeira fase do Programa de Ação Social Escolar, o Município dará 18.636 euros. Concretamente, o AE João da Silva Correia receberá o maior valor (7.186 euros), seguindo-se o AE Oliveira Júnior (6.734 euros) e, depois, o AE Dr. Serafim Leite (4.716 euros).

No passado dia 14, ainda foi deliberada a abertura de uma segunda fase deste programa camarário até 30 de setembro para os encarregados de educação que, entretanto, se inscreverem.

A propósito, Paulo Cavaleiro, da coligação PSD/CDS-PP, defendeu ser “importante a câmara olhar [mais] para a parte informática”. E com isto não estava a falar da aquisição de computadores, mas antes da sua manutenção e de outras questões relacionadas.

Em resposta, o presidente da câmara, Jorge Sequeira, não só assegurou que “neste mandato evoluímos na questão informática”, como também avançou que “brevemente vamos apresentar às escolas do primeiro ciclo uma plataforma”, fruto de “um investimento muito significativo” nesta área por parte do executivo.

Ecos Urbanos O executivo deliberou, também por unanimidade, manter o subsídio anual concedido em 2019, no valor de 12 mil euros, à Associação de Jovens Ecos Urbanos. Como se pode ler na proposta que foi aprovada, a associação em causa, que este ano comemora 22 anos, “tem vindo a dar continuidade ao seu trabalho” “enquanto estrutura social responsável e vocacionada para uma intervenção junto da juventude e da população em risco social no concelho”. Para além disso, é “notória” a sua “disponibilidade e colaboração ativa em diversas parcerias e atividades, quer com o Município, quer com outras instituições”.

Apesar de votar a favor, Dulce Santos, da coligação PSD/CDS-PP, perguntou a Jorge Sequeira “se este valor não podia ser revisto e aumentado”. Ainda mais num momento de pandemia como este.

Ao que o autarca respondeu: “O valor que foi pedido pela associação é exatamente este”. De qualquer modo, “estamos atentos”, prosseguiu, acrescentando ainda que o Município deverá agir “com o princípio de prudência e rigor e dar passos quando são absolutamente necessários em articulação com as associações”. Até porque “os momentos que se avizinham são de grande dificuldade para todo o país”, avisou o edil.

DECO S. João da Madeira vai passar a dispor de um espaço de atendimento ao consumidor, fruto de uma parceria entre a câmara e a DECO (Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor) cujo protocolo foi aprovado por unanimidade esta última terça-feira em sede de executivo municipal. Com este acordo, o Município dá “um passo na instituição de políticas de defesa do consumidor”, cumprindo assim aquela que é uma das suas competências, como esclareceu o autarca Jorge Sequeira.

A colaboração regular da DECO implicará o pagamento de 260 euros mensais mais IVA, para já, durante um ano.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here