O programa de retirada de amianto dos jardins de infância e das escolas primárias, iniciado pela Câmara Municipal de S. João da Madeira em 2018, termina antes do próximo ano letivo.

Nesta terceira e última fase estão a ser intervencionadas as escolas dos Ribeiros e do Parque. A retirada de amianto da escola dos Ribeiros está “praticamente pronta” e a da escola do Parque está a “começar agora, mas estará concluída antes do início do novo ano escolar”, garantiu o presidente da câmara, Jorge Sequeira, aos jornalistas durante a visita realizada, segunda-feira, a uma destas empreitadas que levará a que todos os jardins de infância e escolas primárias sanjoanenses, que estão a seu cargo, fiquem livres de amianto.

A primeira fase deste programa municipal abrangeu as escolas de Fundo de Vila e do Parrinho em 2018 e a segunda fase os jardins de infância das Travessas e da Devesa Velha e a Escola de Casaldelo em 2019.

A retirada do amianto de todos estes estabelecimentos escolares representa um investimento total de 402 mil euros por parte da câmara municipal, dos quais 108 mil dizem respeito às duas últimas intervenções.

Intervenções estas que têm a “dupla vantagem” de, “para além de resolverem o problema do amianto, também reforçam o conforto térmico das escolas e resolvem problemas que existiam de infiltrações”, indicou Jorge Sequeira.

O presidente da câmara mencionou ainda que na primeira fase deste programa foi retirada a cobertura em fibrocimento do Pavilhão Paulo Pinto. Esta intervenção no valor de cerca de 100 mil euros foi levada a cabo com “caráter de urgência porque, como todos sabem, chovia dentro do pavilhão. Portanto, para além de resolver o problema da chuva que impedia que alguns jogos se realizassem com normalidade, também retirámos cobertura que continha amianto”, disse Jorge Sequeira.

Através de outras intervenções que não estão incluídas neste programa, a câmara municipal tem estado a retirar amianto existente noutros edifícios de S. João da Madeira.

O telhado do Centro Coordenador de Transportes ficou livre de amianto devido à obra de beneficiação deste espaço e da Casa das Associações. A obra de reabilitação de 11 blocos do Bairro do Orreiro, onde tem 365 fogos de habitação, logo 365 famílias, também inclui a remoção de amianto de todos eles. O amianto também está a ser retirado da Escola Básica e Secundária Dr. Serafim Leite cuja obra de reabilitação resulta de uma iniciativa conjunta da câmara municipal sanjoanense com o Governo.

Ao longo deste mandato, com a execução do programa de retirada de amianto dos jardins de infância e das escolas da sua responsabilidade e com a retirada de amianto do Pavilhão Paulo Pinto e do Bairro do Orreiro, a Câmara Municipal de S. João da Madeira estima ter gasto cerca de dois milhões de euros, confirmou a própria ao labor.

Antiga EB2,3 continua à espera de nova intervenção

A Escola Básica e Secundária de S. João da Madeira, antiga EB2,3 ou ciclo, continua à espera de uma nova intervenção de remoção de amianto por parte do Governo. Ao longo dos últimos anos, esta escola sanjoanense tem sido alvo de ações a “conta gotas” de remoção deste material existente em vários blocos. Este é um assunto que tem sido reportado a quem de direito – Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares e à Direção-Geral da Saúde – por parte das diferentes direções do Agrupamento de Escolas João da Silva Correia e das associações de pais. Uma nova intervenção estava prevista para a pausa letiva do Carnaval, mas não conseguimos apurar a sua concretização junto da direção deste agrupamento de escolas até ao fecho da edição.

Esta escola está “inscrita na lista de equipamentos prioritários no quadro do programa governamental que foi lançado, entretanto, para retirar amianto”, afirmou Jorge Sequeira.

Cerca de 20 blocos com amianto em diferentes pontos da cidade

Com a remoção de amianto dos blocos do Orreiro, “o maior bairro da câmara municipal a cem porcento está tratado”, revelou o presidente.

Em relação a outros cerca de 20 prédios em diferentes pontos da cidade onde existe amianto, que não são na sua totalidade da câmara municipal, “temos de iniciar um processo que é mais complexo com os demais condóminos para arranjar forma de resolver esses problemas”, adiantou Jorge Sequeira.

Edifícios municipais livres de amianto

A obra de reabilitação do Mercado Municipal começa na próxima segunda-feira e também levará à remoção de uma parte com fibrocimento ali existente. Depois disto acontecer, todos os edifícios municipais de acesso ao público ficarão livres de amianto, confirmou a câmara ao labor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...