De visita ao equipamento municipal, autarca defendeu que “o investimento não pode ser só no centro” da cidade 

Contemplando a renovação total do edifício dos balneários e a colocação de novo relvado sintético no campo de jogos, a requalificação do polidesportivo de Fundo de Vila encontra-se “em fase de acabamentos”. “Só falta a ligação da EDP” para, segundo o presidente da câmara, a obra estar concluída e o equipamento municipal poder ser utilizado pelo Centro Cultural, Desportivo e Recreativo (CCDR) de Fundo de Vila, bem como por outros clubes, associações e/ou particulares desde que solicitem previamente a sua utilização à autarquia.

Obra condizente com “o nível e a qualidade de vida que desejamos para a cidade”

Acompanhado de Rosário Gestosa, vereadora da Divisão de Desporto, e de técnicos camarários, Jorge Sequeira visitou, na passada segunda-feira, esta obra no valor de 160 mil euros financiada pela União Europeia e que, como o próprio disse aos jornalistas, “se insere num programa de requalificação urbana”. Para o autarca, “o investimento não pode ser só no centro”.  Em seu entender,“S. João da Madeira é um território muito pequeno onde a noção de periferia não deve existir” e onde “todos os locais da cidade devem ser tratados com a mesma dignidade, exigência e qualidade”.

Ainda de acordo com o número um do executivo, “os balneários que aqui estavam não eram condizentes com o nível e a qualidade de vida que desejamos para a cidade”. Por isso, à semelhança de outras intervenções, também nesta empreitada de Fundo de Vila salta à vista “a qualidade dos acabamentos e dos materiais”.

Trata-se de um projeto da autoria do arquiteto Rui Faria, que é colaborador do Município. “Um projeto excelente, que tem qualidade na arquitetura e nos materiais, que tem conforto”, descreveu Jorge Sequeira, acrescentando: “Está feito para perdurar, para ter uma lógica de sustentabilidade e de perduração no tempo”.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here