Semana da Juventude Esta última segunda-feira, a câmara aprovou por unanimidade a atribuição de um subsídio no valor de 11 mil euros, para além de apoio logístico, à Associação de Jovens Ecos Urbanos tendo em vista à organização de mais uma Semana da Juventude.

Este ano, o evento, que já “é uma tradição da nossa terra”, como disse Jorge Sequeira, realiza-se de 11 a 13 de setembro, ao ar livre, tendo como “palco principal” o Parque Urbano do Rio Ul devido à pandemia que presentemente se vive. E por falar em pandemia, “este ano, também assinalámos o Dia Mundial [Internacional] da Juventude [a 12 de agosto com inúmeras atividades]”, completou o autarca, justificando que resolveram assinalar esta data “porque a juventude precisa de um olhar muito atento neste momento [de crise pandémica]”, assim como os idosos.

Conferência S. Vicente de Paulo e S. José À semelhança de 2019, o Município volta a atribuir este ano um subsídio de 2.100 euros à Conferência S. Vicente de Paulo e S. José. Este apoio foi aprovado por unanimidade em reunião de câmara. Mas não sem antes a coligação PSD/CDS-PP se mostrar a favor de um reforço do valor a conceder não só a esta, mas também a outras instituições de cariz social que, por causa da crise pandémica, têm visto o número de pedidos de ajuda a aumentar.

A propósito, Paula Gaio garantiu que “se for necessário, reforçaremos” o dito apoio. De qualquer modo, e conforme a vereadora da Ação Social fez questão de referir, a Conferência S. Vicente de Paulo e S. José, devido a toda esta “nova” realidade que se vive e no âmbito do Fundo de Emergência Social SJM Covid-19, já está a receber “três vezes mais” face ao período homólogo do ano passado.

Misericórdia Ainda em sede de executivo municipal foram aprovados, unanimemente, dois subsídios a atribuir pela câmara à Santa Casa da Misericórdia de S. João da Madeira. Um no valor de 900 euros para compensação dos prejuízos da valência da Ocupação de Tempos Livres e um outro, de 7.105 euros, equivalente ao número de refeições excedentárias servidas no âmbito da resposta Cantina Social.

Saudação A câmara municipal aprovou por unanimidade mais um voto de saudação a Ana Rodrigues (ADS) por, desta feita, se ter destacado no Open de Loulé onde estiveram presentes as seleções de Portugal, Espanha e Brasil. No mês passado, a nadadora sanjoanense fez parte do quarteto português que bateu o recorde nacional absoluto dos 4×100 metros livres, tendo ainda obtido o segundo lugar nos 50 metros livres, ao fim do segundo dia da competição.

O presidente Jorge Sequeira apresentou a proposta subscrita pela vereadora do Desporto, Rosário Gestosa, à qual a coligação PSD/CDS-PP também se associou. Com este gesto, o Município quis reconhecer não só a atleta, mas também o seu treinador e o clube a que pertence.

Agendamento A julgar pelo que tinha sido falado na última sessão de julho, Paulo Cavaleiro estava a contar que esta reunião de câmara fosse realizada a 14 de agosto, tendo organizado a sua agenda para esse dia e não para dia 31, como veio a acontecer. Segundo o vereador da coligação PSD/CDS-PP, “ninguém falou comigo para ver se dia 31 era uma data em que pudéssemos estar presentes”, facto que o levou agora, e “no sítio certo”, a mostrar descontentamento. “Não estava habituado a ser tratado desta maneira”, afirmou, acrescentando que achava que aquela não era “uma forma correta e até cordial” de ser tratado.

A propósito, Jorge Sequeira admitiu poder “ter havido um mal-entendido”. Mas “nada mais” do que isso. “Refuto a ideia de que houve falta de cordialidade. Não houve qualquer menosprezo”, deixou claro o edil.

Transmissão A coligação PSD/CDS-PP deu 60 dias para a maioria criar “condições de igualdade e qualidade” no que diz respeito à transmissão em direto das reuniões de câmara. De acordo com Paulo Cavaleiro, a transmissão da última sessão deixou muito a desejar. A começar pelo “som horrível” e depois, e uma vez mais, pelo “formato de transmissão [adotado] que valoriza, sobretudo, o presidente da câmara”, chamou à atenção o vereador da oposição, para quem neste momento “as coisas não são feitas com a qualidade e a dignidade que este órgão merece”.

Covid-19 Para além de voltar a pedir as “contas” relativamente à Covid-19, Paulo Cavaleiro (PSD/CDS-PP) disse que “a forma como a câmara apresenta os dados [sobre esta matéria] não ajuda as pessoas a perceberem que há novos casos” nem qual o número de doentes recuperados. Segundo o vereador da oposição, “provavelmente, virá aí uma segunda vaga” e haver uma “melhor informação” só ajudaria no combate à doença.

Ainda a propósito, Paulo Cavaleiro apelou ao empenho de todos para, “nos nossos fóruns, sensibilizar o Governo” no sentido de “uma análise mais fina” das normas apresentadas recentemente pela Direção-Geral da Saúde em relação ao desporto e formação desportiva. “Tenho dificuldade em entender que só os seniores possam ter competições”, acrescentou.

Largo do Souto “Gorada a possibilidade de entendimento com os privados [os quatro proprietários dos terrenos onde já foram as instalações da Polícia de Segurança Pública], a câmara avança com a possibilidade de concessão de urbanização ao mercado imobiliário. Entretanto, caso não dê certo, teremos de estudar a alteração do Plano de Pormenor [PP] do Largo do Souto”, referiu Jorge Sequeira na passada segunda-feira.

Recorde-se que, para já, a “solução” passa por executar o que está projetado no PP da autoria do arquiteto Souto Moura, nomeadamente “a construção de um edifício único com um jardim à face da estrada”, conforme o labor noticiou em edição anterior. O líder da autarquia é de opinião – e partilhou-a com os presentes na sala de reuniões do executivo municipal – que “é dever da câmara dar os passos necessários para promover a reabilitação urbana”.

Aliás, nesse preciso sentido, foram aprovados por unanimidade o relatório de ponderação no âmbito do procedimento de delimitação de unidade de execução do PP do Largo do Souto, bem como a operação de reparcelamento “nos termos da informação do chefe de Divisão de Planeamento, Ordenamento e Ambiente de 18 de maio de 2020”. Também foi deliberado unanimemente “proceder-se de imediato à elaboração das peças do procedimento de concurso público tendo em vista a concessão de urbanização para a execução desta unidade”.

A coligação PSD/CDS-PP votou a favor deste ponto da ordem de trabalhos, defendendo que “o Município deve ser catalisador da solução” e, “eventualmente, liderar o processo” de forma a que “o território saia a ganhar”.

Empréstimo Ainda nesta reunião de câmara foi deliberado, por maioria, autorizar a contração do empréstimo de médio e longo prazo até 445 mil euros à linha BEI PT 2020 – Autarquias, para financiamento da contrapartida nacional da obra da Praça Luís Ribeiro e ruas adjacentes. A coligação PSD/CDS-PP absteve-se, não perdendo a oportunidade de lembrar que a maioria “só não faz o estacionamento e o parque infantil”, previstos no projeto inicial, “por opção”. Caso contrário, “podia pedir um empréstimo maior”, disse Paulo Cavaleiro.

A propósito, Jorge Sequeira voltou a chamar à atenção, como já fez em outras ocasiões, para que “a cidade tem dois parques de estacionamento subterrâneos [um junto ao Tribunal e o outro em frente ao Mercado Municipal] que têm tido pouquíssima utilização”. “É preciso que as pessoas os utilizem”, defendeu o autarca.

E por falar nestes dois parques, o “vice” José Nuno Vieira anunciou que “a Saba vai lançar um programa de apoio ao comércio”, oferecendo estacionamento a quem fizer compras no comércio de rua. Esta é, na ótica de Paulo Cavaleiro, “uma iniciativa positiva, que já existiu no passado, mas que não resolveu o assunto [problema do estacionamento]”.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here