O aviso foi dado pelo presidente da câmara, Jorge Sequeira, durante a abertura do evento que recebeu o maior número de inscrições de sempre de todas as 11 edições

As Jornadas da Educação voltaram a realizar-se, a 8 e 9 de setembro, a poucos dias do início de mais um ano letivo.

A grande diferença desta que foi a sua 11ª edição foi o formato completamente online, devido aos constrangimentos provocados pela Covid-19, o que, por um lado, priva os participantes do contacto pessoal entre si, mas que, por outro, permitiu que atingisse o maior número de inscritos de sempre. Não só de diversos concelhos de Portugal Continental, da Madeira e dos Açores, como também de países de expressão portuguesa como Angola, São Tomé e Príncipe e Brasil. Dos cerca de 400 inscritos registados em 2019, passámos para 2.548 em 2020.

Já o programa manteve-se semelhante ao de anos anteriores. O discurso de abertura coube, uma vez mais, ao presidente da câmara, ao longo do qual, Jorge Sequeira, destacou o papel dos agentes de educação. “Gostaria de dizer aos professores e aos assistentes operacionais que no contexto em que vivemos acolher os nossos jovens nas escolas é um gesto patriótico e de salvação nacional”. Por isso, “queria agradecer a nobreza da vossa ação, a excelência do vosso profissionalismo e dizer-vos que sem escola o país não tem futuro”. Jorge Sequeira reconheceu que é “profundamente exigente e difícil abrir um ano letivo nas condições em que o vamos fazer”, mas apelou ao facto de estar “em causa um imperativo nacional” que é “o resgate de uma geração de jovens para a vida em comum, para a vida em sociedade, para o seu próprio futuro”.

Ao longo dos dois dias de jornadas, repletos de temas relacionados com a educação e, como não podia deixar de ser, com a Covid-19, debatidos por diferentes agentes ligados à área da Educação, o presidente da câmara esperou que “possam esclarecer dúvidas, dar pistas sobre como gerir esta crise de saúde pública que vivemos e que atravessamos e que possa inspirar em todos a confiança necessária para que tenhamos um excelente ano letivo”. Jorge Sequeira fez questão ainda de salientar que “a Educação é uma prioridade importante e fundamental para o Município de S. João da Madeira”, fundamentando, depois, a sua afirmação através da enumeração de diversas medidas tomadas nesta área ao longo do seu mandato.

As jornadas encerraram com o discurso de Irene Guimarães, vereadora da Educação, realizado após o último debate marcado para ontem, dia 9 de setembro, às 21h00, já depois do fecho da edição do labor.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here