Câmara vai divulgar número de recuperados de três em três meses

 

A Câmara Municipal de S. João da Madeira revelou o número de residentes recuperados da infeção pelo novo coronavírus até ao dia 31 de agosto em conferência de imprensa dada pelo presidente Jorge Sequeira que fez questão de realçar que com esta ação cumpre uma promessa feita durante a entrevista dada em julho deste ano ao labor.

Relembramos que nessa entrevista o nosso jornal voltou a confrontar o autarca com o facto de S. João da Madeira revelar apenas o número de casos confirmados e em vigilância ativa enquanto outros municípios prestavam uma informação mais completa como o número de recuperados e de óbitos. Nessa altura disse que divulgaria o número de casos recuperados quando cessasse o Estado de Alerta. Também esclareceu que qualquer informação que preste terá de ter como fonte a autoridade de saúde local, entenda-se Delegado de Saúde, e não outras como acontece com outros municípios.

De acordo com os dados fornecidos pelo Delegado de Saúde ao Município de S. João da Madeira, até ao dia 31 de agosto, dos 96 casos confirmados, 82 estavam recuperados, o que corresponde a uma percentagem de 85,4%, revelou Jorge Sequeira, não conseguindo especificar quantas destas pessoas recuperaram em casa ou em internamento depois de questionado pelo labor.

Até ontem, dia 16 de setembro, S. João da Madeira registava 115 casos confirmados, mais 19 do que a 31 de agosto.

A câmara municipal sanjoanense passará a divulgar o número de casos recuperados de três em três meses. Assim sendo, a atualização do número de casos recuperados só será conhecida em novembro ou dezembro.

3.213 testes feitos em S. João da Madeira

Outra informação divulgada pelo presidente da câmara teve a ver com o número de testes realizados no concelho. Uma vez mais, até ao dia 31 de agosto, tinham sido realizados 3.213 testes com recurso a zaragatoa em S. João da Madeira.

DR

Estes 3.213 testes não correspondem a 3.213 pessoas testadas porque em alguns casos foi feito mais do que um teste à mesma pessoa, clarificou o presidente.

Entre estes testes estão contempladas ações articuladas entre a câmara municipal sanjoanense, a autoridade de saúde local, a proteção civil e o Governo que passaram por instituições como a Santa Casa da Misericórdia, a ACAIS, a CERCI e os Bombeiros Voluntários.

Não divulgação do número de mortes deve ser encarada como uma “boa notícia” e não como “ocultação de informação”

Uma das informações que continua sem ser divulgada em matéria de Covid-19 é o número de residentes em S. João da Madeira que morreram devido ao novo coronavírus. A não divulgação deste tipo de informação deve ser encarada como uma “boa notícia” e não como “ocultação de informação” porque o número é reduzido e está “protegido pelo segredo de estatística”, esclareceu Jorge Sequeira, explicando que “só quando atingir um número elevado é que é possível revelar o número de mortes sem violar o segredo de estatística”. “Espero nunca ter de o revelar ao longo desta pandemia”, concluiu Jorge Sequeira.

 

Câmara já gastou 330 mil euros com a Covid

Até ao dia fim de agosto, a Câmara Municipal de S. João da Madeira já realizou 330.892 euros de despesa no âmbito da Covid-19, cerca de mais 10 mil euros do que os 320 mil euros registados no final de junho, nomeadamente com a aquisição de equipamentos de proteção, atribuição de apoios sociais às famílias, refeições, higienização e informação à população, apurou o labor.

 

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here