AD Sanjoanense, 0 (4) – CF Canelas 2010, 0 (2)

Jogo no Estádio Conde Dias Garcia.

Árbitro: João Santos, auxiliado por Marco Silva e Rui Sá (AF Coimbra).

AD Sanjoanense: Diogo Almeida, Rúben, Barbosa, Dinis (Jean, 97’), Paulinho (Zé Leite, 56’), Jota, Daniel, Sandro (Fontes, 74’), Godinho, Márcio (Eecion, 74’), Élder.

Suplentes: Rui Mota, Fontes, Zé Leite, Eecion, Jean.

Treinador: Sérgio Machado.

CF Canelas 2010: Matos (Raphael, 117’), Simão, Bastos, Nando, Leo, Abalo, Samu (Rafa, 105’), Saldanha (Balanta, 74’), Onyeka (Alex Tank, 74’), Mohamed (Fonseca, 105’), Francisco Sousa (Rola, 85’).

Suplentes: Raphael, Fonseca, Rafa, Rola, Balanta, Alex Tank, Macaco.

Treinador: Tiago Morgado.

Ao intervalo: 0-0.

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Simão (34’), Paulinho (45’), Bastos (50’), Sandro (52’), Samu (68’), Jota (70’), Dinis (80’), Mohamed (82’), Macaco (92’), Rola (97’), Leo (101’), Abalo (104’).

Foi preciso sofrer e esperar pela lotaria das grandes penalidades para a Sanjoanense festejar a passagem à terceira eliminatória da Taça de Portugal. Num encontro que terminou sem golos, tanto no tempo regulamentar como no prolongamento, os homens de Sérgio Machado foram mais felizes na marcação dos penalties, afastando um Canelas que ao longo dos 120 minutos de jogo apresentou mais argumentos para chegar à vantagem.

Com uma primeira parte dividida e escassa em oportunidades, foram os visitantes que rondaram com mais perigo a baliza à guarda de Diogo Almeida que, no entanto, ao longo dos 45 minutos iniciais não teve grandes dificuldades para manter o nulo no marcador.

Após o intervalo o Canelas regressou com uma postura mais ofensiva e logo aos quatro minutos Saldanha, em resposta a um passe de Onyeka, remata forte às malhas laterais. Com um maior domínio dos visitantes, perante uma Sanjoanense que, apesar de tentar reagir, evidenciava grandes dificuldades para chegar com perigo à baliza adversária, o golo da formação de Vila Nova de Gaia parecia cada vez mais perto, mas duas alterações em simultâneo na equipa orientada por Sérgio Machado davam outra dinâmica aos alvinegros, trazendo algum equilíbrio ao encontro. E se a cinco minutos do fim Barbosa, servido por Élder, via Matos negar o golo com uma defesa para canto, na jogada seguinte Eecion dava ao guardião visitante a oportunidade de realizar a defesa da tarde.

Depois de 90 minutos com o nulo no marcador e a Sanjoanense a acusar algum cansaço, o Canelas entrou no prolongamento com vontade de decidir a partida e aos dois minutos reclamou golo, quando num pontapé de canto fica a dúvida se na defesa de Diogo Almeida a bola já tinha ultrapassado a linha de fundo.

Eram os homens de Tiago Morgado que mais perigo criavam, mas a melhor oportunidade surgiu do lado dos alvinegros no último lance do prolongamento. Zé Leite com um passe longo coloca a bola em Élder Santana que, depois de levar a melhor sobre um defesa, surge frente a Raphael junto ao poste vindo da direita mas em vez do remate opta por atrasar para Eecion, que atira por cima.

Na marcação das grandes penalidades ambas as equipas falharam um golo e o marcador atingiu os 3-2. Abalo assumia a responsabilidade de chegar à igualdade, mas o homem do Canelas atitou ao poste e foi Barbosa, com calma, que confirmou a passagem da Sanjoanense à terceira eliminatória da Taça de Portugal.

No próximo domingo regressa o Campeonato de Portugal com os alvinegros a deslocarem-se ao recinto do Beira Mar.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here