“É o nosso desígnio como comunidade”, salientou a vereadora Irene Guimarães

 

As comemorações do 94º aniversário da Emancipação Concelhia de S. João da Madeira ficaram marcadas pelas “circunstâncias atípicas” que vivemos devido à pandemia.

Uma dessas circunstâncias foi a ausência de Jorge Sequeira por estar infetado com Covid-19, levando a que o discurso que é tradicionalmente feito pelo presidente da câmara durante a sessão solene realizada no Dia do Município, 11 de outubro, tenha sido feito pela vereadora Irene Guimarães.

Para além de Jorge Sequeira, o vice-presidente José Nuno Vieira e a vereadora Paula Gaio também não estiveram presentes nas comemorações por estarem em quarentena.

Outra circunstância atípica foi o facto de as comemorações serem abertas apenas a pessoas que recebessem convite. Assim sendo, Irene Guimarães dirigiu-se a uma plateia limitada em número de lugares, ao contrário do que aconteceu até então. A vereadora convidou os presentes a lembrarem a história do concelho de S. João da Madeira por ser “demonstrativa de que a autonomia bem gerida produz bons frutos”, fundamentando a afirmação com o facto de a emancipação concelhia, conquistada em 11 outubro de 1926 pelos sanjoanenses, ter permitido “tirar partido de todo o potencial que este território – pequeno em tamanho, mas tão grande em valor – já apresentava então, nomeadamente na indústria”. Desde então que “S. João da Madeira tem registado um progresso assinalável que, atualmente, vai muito para além da vertente económica, refletindo-se, igualmente, noutras áreas e projetando-se em novas direções porque sempre teve como grande determinação estar na linha da frente face aos desafios e transformações que o mundo defronta”, considerou Irene Guimarães. Um dos exemplos dessa determinação pode ser visto no atual “contexto epidemiológico” em que S. João da Madeira “ferve de atividade”, constatou a vereadora, mencionando as obras de requalificação das escolas de Fundo de Vila e Dr. Serafim Leite, da Praça, do Mercado, nos bairros sociais, entre outras. Agora, mais do nunca, “cabe-nos, a todos, sem exceção, unir esforços” para “levar o nosso concelho ainda mais além”, apelou Irene Guimarães, salientando que “é esse o nosso desígnio como comunidade”.

“Esta é mais uma luta e será mais uma vitória”

Os tempos são “difíceis” e os desafios são “muitos”, mas “temos dado provas de resiliência e as conquistas alcançadas são a prova disso”, começou por dizer Clara Reis, presidente da Assembleia Municipal, relembrando que S. João da Madeira é “uma cidade que nasceu e cresceu da vontade de vencer barreiras diversas, de ordem económica, social e política.

DF

Uma cidade em que os habitantes lutaram e venceram no passado e continuam a vencer no presente”. Por isso, “esta é mais uma luta e será mais uma vitória”. Apesar do número de presentes na sessão solene ser muito reduzido, pelas circunstâncias que temos conhecimento, “cada um de nós aqui presente representa muitos mais”, destacou Clara Reis.

Num dia tão importante para S. João da Madeira, a câmara e as escolas desenvolveram, em parceria e pelo segundo ano consecutivo, um projeto que “nos envolve e devolve enriquecimento e orgulho nas nossas origens num trabalho intergeracional de recolha de memórias onde a história ganha vida”, destacou a presidente da Assembleia Municipal, enaltecendo e agradecendo o trabalho de todos os envolvidos nas peças de teatro e nas exposições (ver caixa). “Com história fazemos história, com passado contruímos presente e preparamos o futuro assente em princípios e valores dignos de orgulho que podemos transmitir nestas comemorações”, concluiu Clara Reis.

“O concelho pode contar com os mais jovens para continuar a inovar”

“Todos os que lutaram pela emancipação do nosso concelho e todos os que contribuíram para o seu progresso e desenvolvimento” foram recordados por Alexandre Sanjuan Gomes, representante da Assembleia Municipal Jovem, ao longo da sua intervenção na sessão solene. Para este jovem deputado, S. João da Madeira é “um concelho jovem, dinâmico e em constante renovação”, apontando como “prova disso” o projeto Assembleia Municipal Jovem. Um projeto “importante” que foi criado há três anos pela câmara e assembleia municipais, juntamente com as escolas, com o objetivo de dar a oportunidade aos jovens de participarem de forma ativa na política através da apresentação de ideias e do debate de propostas que podem “contribuir para melhorar a vida dos sanjoanenses”, garantiu Alexandre Gomes, assumindo que “o nosso concelho quase secular pode contar com os mais jovens para continuar a inovar”.

 

Momentos das comemorações

Para além da sessão solene, o programa das comemorações contou com o hastear das bandeiras com a presença e atuação da Banda de Música de S. João da Madeira; as rábulas “Artes e Ofícios” pelo Agrupamento de Escolas (AE) Dr. Serafim Leite e “Palacetes há muitos, seu…” pelo AE Oliveira Júnior; os teatros “Unhas Negras” do AE João da Silva Correia e “Ecos do Passado” do AE Dr. Serafim Leite, com a Academia de Música e a Escola de Dança Turning Point; as exposições “Artes e Ofícios” do Agrupamento de Escolas Dr. Serafim Leite, “Emigração” do Agrupamento de Escolas Oliveira Júnior, “História” do Agrupamento de Escolas João da Silva Correia e “Indústria” do Centro de Educação Integral, que estão patentes no Fórum Municipal; os concertos dos GNR; e a missa em memória de autarcas e funcionários falecidos presidida por D. Vitorino Soares, Bispo Auxiliar do Porto, com inauguração da requalificação da Capela de Santo António e dedicação ao altar, seguida de romagem aos cemitérios.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here