FC Porto, 48 – AD Sanjoanense/Delba, 22

Jogo no Dragão Arena.

Árbitros: Fernando Costa e Diogo Teixeira.

FC Porto: Alfredo Quintana (1), Victor Iturriza (3), Manuel Spath (1), Miguel Martins (3), Daymaro Salina (3), Ivan Sliskovic (2), Tiago Sousa (1), Leonel Fernandes (4), Diogo Branquinho (6), Diogo Silva (6), António Areia (9), André Gomes (5), Miguel Alves (2), Martim Costa (1), Fábio Magalhães (1).

Treinador: Magnus Andersson.

AD Sanjoanense/Delba: Ricard Gaspar, Guilherme Novo (1), Francisco Silva (1), Pedro Pires (3), Miguel Cortinhas (3), Lourenço Santos (1), Gonçalo Fernandes, Lucas Santana, Bruno Castro (2), Tiago Antunes, Bruno Pinho (2), António Devile, Jefferson Bastos (1), Anderson Silva, Vinícios Carvalho (5), Ricardo Pinho (3).

Treinador: Nuno Silva.

Ao intervalo: 26-13.

A deslocação ao Dragão Arena não se esperava fácil para a Sanjoanense que frente a um dos líderes do campeonato procurava chegar à primeira vitória. E os primeiros minutos do encontro permitiram aos alvinegros sonhar com o triunfo, mas a meio da primeira parte o FC Porto começou a fugir no marcador e na segunda metade os locais demoliram por completo a equipa liderada por Nuno Silva.

Foi o conjunto local que inaugurou o marcador, mas com uma entrada motivada os visitantes acabariam por dar a volta ao resultado e assumir a liderança, ainda que pela margem mínima, obrigando os homens de Magnus Andersson a lutarem algumas vezes pela igualdade.

Face às dificuldades defensivas do FC Porto, e que permitiam que a Sanjoanense fosse mantendo o encontro equilibrado, o técnico portista optou por efetuar algumas alterações na equipa e as mudanças tiveram efeitos imediatos com os “azuis e brancos” a começarem a cavar um fosso que ao intervalo já refletia a diferença entre as duas equipas, com os locais a somarem o dobro dos golos (26-13).

Na segunda parte o FC Porto foi avassalador. Perante a uma Sanjoanense que ia apresentando dificuldades defensivas e que tinha pela frente um Alfredo Quintana inspirado, os locais impuseram um ritmo e intensidade de jogo que os homens de Nuno Silva não conseguiram contrariar e com seis minutos de jogo já tinham apontado seis golos sem qualquer resposta dos visitantes (32-13).

Apesar da desigualdade, a Sanjoanense nunca se deu por vencida e procurou sempre diminuir a diferença que separava as duas formações, mas um FC Porto bem mais experiente e com objetivos completamente díspares manteve sempre o domínio do encontro, onde o portista António Areia destacou-se como o melhor marcador do encontro, com nove golos apontados. Do lado alvinegro Vinícios Carvalho ter minou a partida com cinco golos marcados.

No próximo sábado a Sanjoanense regressa a casa defrontando no Pavilhão das Travessas o SC Horta.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here