“Mas tem de encontrar uma solução” para os dias de mau tempo, alertou o vereador da oposição Paulo Cavaleiro

As obras de requalificação do Mercado Municipal levaram a que os vendedores que têm banca apenas ao sábado de manhã passassem a vender no espaço exterior como se fosse um “Mercado de Rua”. Uma situação que deve durar um ano que é o prazo previsto para a execução dos trabalhos.

O primeiro “Mercado de Rua” realizou-se no dia 18 de julho e os vendedores e os clientes queixaram-se das elevadas temperaturas que se fizeram nesse dia, tendo a câmara, na altura, garantido ao labor que iria melhorar as condições nas próximas edições.

Quatro meses depois o problema está na falta de uma solução concreta para que este mercado não deixe de ser feito devido ao mau tempo.

O tema não é novo nas intervenções de Paulo de Cavaleiro, vereador da coligação PSD/CDS-PP, nas reuniões de câmara, tendo voltado a falar do assunto durante a sessão realizada esta terça-feira à tarde através da plataforma Zoom. “A câmara não criou alternativas, mas temos de encontrar uma solução” porque “a partir de agora vai tornar-se uma coisa mais difícil” devido ao mau tempo. “Não pode ser um mercado de fé que este sábado não chove”, incitou Paulo Cavaleiro. O vereador da oposição frisou que “a câmara tem de criar condições” com “dignidade” e “conforto” tanto para o cidadão que está a comprar como para o que está a vender.

“Nós respeitamos imenso os comerciantes do mercado”, esclareceu o presidente da câmara, Jorge Sequeira, respondendo de seguida à questão do vereador da oposição. “De momento, a solução que temos para os comerciantes temporários é a que está em vigor e estamos a estudar outras possibilidades para o período de inverno”, retorquiu o presidente da câmara sem especificar uma solução em concreto na reunião de câmara nem à margem da mesma quando questionado pelo labor.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...