Sós! Jamais estaremos sós. Nunca haverá solidão!

Nunca, nunca abandonados; pois o eu connosco está,

Vindo do âmago, lá do fundo, da nossa própria razão,

Das coisas que nos vem vindo e andam de lá p´ra cá.

 

Os eremitas, os ascetas! Da solidão vão vivendo

Conceito que se pratica e não é realidade.

Pois vivem com ela e consigo, e neste auto-referendo,

Confirmam que o estar só está longe da verdade.

 

Conformidade entre a mente e o objeto mental,

Representação fiel, expressão da realidade,

Acordo do pensamento, com um dado factual,

Material, imaterial, sem espaço ou sem idade

 

A solidão é um retiro puro e simples, não é nada,

Um repouso para a mente, para o corpo se quisermos,

O resto é filosofia, imaginário, a jornada

Para os receios da vida, quando fartos de a vivermos.

 

Solidão não é estar só, será crer, acreditar?

Que ninguém ou o qualquer nada estejam em conformidade,

Por isso nunca se está isolado ao não se estar

Com ou sem a companhia de uma qualquer entidade

Arquivo Labor

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...