SC Espinho, 3 – AD Sanjoanense, 3

Jogo no Estádio Marques da Silva, em Ovar.

Árbitro: Nelson Cunha, auxiliado por Anthony Capelo e João Arantes (AF Viana Castelo).

SC Espinho: Bruno Silva, Mica, Manuel Lopes, João Pinto, Gonçalo Cardoso, Daniel (Miguel Ângelo, 81’), João Ricardo (Duarte Duarte, 45’), Nakedi Chipu (João Pinto, 73’), Betinho, Diogo Valente, Ivo Lucas (Miguel Pereira, 60’).

Suplentes: Miguel Borges, João Pinto, Paço, Miguel Ângelo, Duarte Duarte, Miguel Pereira, Carlitos.

Treinador: João Ferreira.

AD Sanjoanense: Diogo Almeida, Aldair, Sandro, Rúben, Jota, Ricardo (Godinho, 67’), Dinis (Paulinho, 58’), Danso, Márcio (Zé Leite, 52’), Elder Santana, Mário Correia.

Suplentes: Bradley, Godinho, George, Paulinho, Zé Leite, Jean, Eecion, Moussa.

Treinador: Sérgio Machado.

Ao intervalo: 1-2.

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Ricardo (27’), Rúben (42’), Zé Leite (63’), Sandro (67’), Paulinho (92’).

Marcha do marcador: 0-1 por Dinis (29’), 0-2 por Elder Santana (40’), 1-2 por Nakedi Chipu (41’), 2-2 por Nakedi Chipu (56’), 2-3 por Elder Santana (82’), 3-3 por Mica (93’).

Depois de ter estado por duas vezes na frente no marcador, a Sanjoanense não conseguiu segurar a vantagem, permitindo que o Espinho chegasse ao empate em duas ocasiões, a última já em tempo de compensação.

Com ambas as formações a entrarem em campo moralizadas pelas vitórias na jornada anterior, foi, no entanto, a que jogava em casa emprestada que assumiu o comando do jogo. Com um maior ascendente, os homens de João Ferreira não tardaram a chegar com perigo à baliza de Diogo Almeida e foi Nakedi, logo aos três minutos, o primeiro a testar a atenção do guardião alvinegro.

As melhores ocasiões pertenciam ao Espinho, mas seria a Sanjoanense a chegar ao golo. Aos 22 minutos Mário Correia tentou a sorte na primeira situação de perigo dos visitantes, mas foi à passagem da meia hora que o marcador entrou em funcionamento num lance de bola parada. Daniel perde a bola em zona proibida e João Ricardo, na tentativa de impedir a progressão de Mário Correia, trava em falta o homem da Sanjoanense. Dinis, na cobrança do livre tirado a “régua e esquadro”, coloca a bola no ângulo e fora do alcance de Bruno Silva.

A resposta não tardou e aos 33 minutos o Espinho esteve perto da igualdade também um lance de bola parada, com João Ricardo a aproveitar uma defesa incompleta de Diogo Almeida para atirar às malhas laterais.

Apesar de pouco produtiva, a Sanjoanense revelava-se bastante eficaz nas oportunidades criadas e a cinco minutos do intervalo, na terceira investida à baliza dos homens da casa, amplia a vantagem. Mário Correia tentava aproveitar a progressão de Márcio, mas num corte mal conseguido do Sporting de Espinho a bola sobra para Elder Santana que, sem grande oposição, faz o segundo dos alvinegros.

A reação dos locais foi imediata. A Sanjoanense ainda saboreava a vantagem quando os homens de João Ferreira reduzem a diferença. Num ataque pelo corredor esquerdo Nakedi ganha o ressalto dentro da área e de frente para a baliza bate Diogo Almeida, estabelecendo o resultado com que se chegaria ao intervalo.

No regresso dos balneários o Espinho entrou decidido em chegar ao golo e depois de uma excelente oportunidade de Duarte Duarte, que ao intervalo entrou para o lugar de João Ricardo, seria Nakedi, logo aos 10 minutos, numa jogada de insistência, a bisar na partida, respondendo da melhor forma a um cruzamento vindo da direita de Ivo Lucas para a boca da baliza.

Motivado pelo empate o Espinho aumentou a pressão à procura da reviravolta no marcador e foi Diogo Almeida que foi segurando a igualdade até aos últimos minutos da partida, altura em que os alvinegros voltaram a adiantar-se no resultado, quando Elder Santana, aproveitando um cruzamento largo de Paulinho para o coração da área, ganha vantagem sobre Bruno Silva e, de cabeça, aponta o segundo da sua conta pessoal e o terceiro dos visitantes.

A vencer a Sanjoanense procurou segurar os três pontos e até ao final chegou a criar algumas oportunidades para ampliar a vantagem, mas seria o Espinho, já em tempo de compensação, a chegar novamente ao empate com Mica, na sequência de um pontapé de canto, a rematar forte de fora da área para o golo da igualdade.

No próximo domingo os alvinegros deslocam-se a Vila Franca de Xira para defrontarem o Vilafranquense, jogo a contar para a terceira eliminatória da Taça de Portugal.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here