HC Braga, 3 – AD Sanjoanense, 2

Jogo no Pavilhão das Goladas, em Braga.

Árbitros: José Pinto (AP Porto) e Miguel Sousa (AP Porto).

HC Braga: Leonardo Pais, Diogo Seixas, Afonso Lima, Pedro Delgado, Gonçalo Meira.

Suplentes: Gabriel Costa, António Trabulo, Miguel Moura, Ângelo Fernandes, Carlos Loureiro.

Treinador: Hugo Azevedo.

AD Sanjoanense: Tiago Freitas, Alex Mount, Pedro Cerqueira, Xavier Cardoso, Hugo Santos.

Suplentes: Marco Lopes, João Cruz, Pedro Rego, Facundo Navarro.

Treinador: Vítor Pereira.

Ao intervalo: 3-1.

Marcha do marcador: 0-1 por Hugo Santos (6’), 1-1 por Ângelo Fernandes (8’), 2-1 por Gonçalo Meira (10’), 3-1 por António Trabulo (19’), 3-2 por Xavier Cardoso (30’).

Faltas: HC Braga, 15 | AD Sanjoanense, 15.

Com a equipa desfalcada, a Sanjoanense cedeu na manhã de domingo na deslocação a Braga, frente ao penúltimo classificado.

Depois do empate em casa a quatro golos frente ao Benfica, conseguido nos instantes finais da partida, a formação alvinegra procurava mais um triunfo e até entrou bem no jogo e apesar do início equilibrado foram os visitantes que inauguraram o marcador aos seis minutos. Xavier Cardoso lança-se no contra-ataque e já na área de baliza aproveita a desmarcação de Hugo Santos que, sem grande dificuldade, desvia para o fundo das redes o passe do colega de equipa.

A Sanjoanense parecia no bom caminho, mas os locais reagiram bem ao golo e aos 10 minutos asseguravam a cambalhota no marcador.

Ângelo Fernandes, na conversão de uma grande penalidade, resultante de uma falta de Pedro Cerqueira, restabelecia a igualdade e pouco depois Gonçalo Meira, com uma excelente jogada individual, remata forte junto ao ângulo e coloca o Braga em vantagem.

A Sanjoanense procurou aumentar a pressão na busca do empate, mas os minhotos souberam manter o jogo equilibrado, acabando mesmo por aumentar a vantagem a cerca de seis minutos do intervalo, quando António Trabulo, em combinação com Miguel Moura, lança o Braga no ataque finalizando da melhor forma um passe do colega de equipa vindo de trás da baliza alvinegra.

O resultado era penalizador para os homens de S. João da Madeira, mas os alvinegros não desarmaram e já perto do intervalo beneficiaram de um livre direto, a castigar a décima falta dos locais, que podia ter sido aproveitado para diminuir a diferença, mas Hugo Santos não conseguiu bater o guardião Leonardo Pais.

Na segunda parte a Sanjoanense entrou à procura do golo que acabaria por surgir aos cinco minutos por intermédio de Xavier Cardoso, que depois de um primeiro remate aproveita a desatenção de Gonçalo Meira para recuperar a bola em zona proibida e numa investida curta aproxima-se da baliza e com uma picadinha reduz a desvantagem.

O golo moralizou os homens de Vítor Pereira, que cresceram no jogo à procura do empate, mas perante um Braga que cerrou a defesa para segurar a escassa vantagem, o resultado não voltaria a sofrer alterações, nem mesmo com a saída, a cerca de 30 segundo do fim, de Tiago Freitas para dar lugar a mais um jogador de campo.

Com três casos de Covid-19 no plantel confirmados até ao momento, e com todos os atletas e equipa técnica em isolamento, é quase certo que a Sanjoanense não irá defrontar o OC Barcelos no próximo sábado.

ADS e HC Braga emitem comunicados

A Sanjoanense viajou para Braga, no passado domingo, sem dois dos seus jogadores. Num comunicado, o clube alvinegro refere que “teve conhecimento durante a manhã de ontem (sábado) que um atleta manifestou alguns sintomas comuns à Covid-19”. Face à situação, e após a divulgação do resultado do teste, que acabaria por dar positivo, o clube refere que o elemento “foi prontamente retirado da comitiva”. Contudo, a nota sublinha que durante a manhã do dia do jogo “outro atleta declarou a manifestação de dores musculares – sintoma comum à Covid-19”, razão que levou o clube não incluir também esse jogador para o encontro. Desfalcado, o clube solicitou junto da direção do HC Braga o adiamento do encontro, pedido que, segundo a nota, “foi recusado”, tendo a equipa adversária “alegado indisponibilidade de reagendamento do jogo ainda nesta 1.ª volta do calendário”. “É uma decisão que o regulamento prevê que seja tomada, e perante a situação, cumprimos com o que está estipulado e fomos a jogo com estas condicionantes”, pode ler-se na nota, onde a secção de hóquei em patins da Sanjoanense “reitera que agiu em conformidade com o regulamento em vigor e em conformidade com as medidas previstas neste tipo de situações”.

Com a divulgação do comunicado alvinegro, o HC Braga respondeu da mesma forma, sublinhando que de acordo com o regulamento, “os jogos só podem ser adiados se a equipa tiver menos de sete jogadores disponíveis, tendo o requerente do adiamento de enviar em tempo útil para os órgãos responsáveis por esta matéria na FPP toda a documentação que atesta esse estado”. O clube, que há cerca de um mês passou pela mesma situação, esclarece que na altura teve de comprovar junto da Federação de Patinagem de Portugal com testes de Covid-19 positivos no seu plantel para que os jogos agendados para o período de convalescença e resguardo estipulado pelas autoridades de saúde fossem adiados. “Os clubes adversários do HC Braga nesses jogos nada tiveram a acrescentar à decisão e situação. Foi exatamente esta a postura que o HC Braga teve agora, na situação da AD Sanjoanense. Não tivemos, nem teríamos de ter, qualquer intervenção na decisão, cabendo esta à FPP”, sublinha o clube minhoto.

Hóquei em patins da ADS confirma três casos de Covid-19 na equipa masculina

Depois de ter emitido um comunicado onde dava conta que um dos atletas da equipa sénior masculina havia testado positivo à Covid-19 e que outro havia manifestado sintomas comuns à infeção pelo vírus, levando a que a Associação Desportiva Sanjoanense defrontasse o HC Braga desfalcada, a secção de hóquei em patins do clube alvinegro divulgou uma nova nota onde dá a conhecer que “foram verificados mais dois casos de Covid-19 na equipa sénior”, passando, assim, para um total de três. “Todos os atletas e equipa técnica encontram-se em isolamento profilático”, acrescenta o comunicado, onde a secção dá ainda a conhecer que, face à evolução da situação pandémica no país, e em particular em S. João da Madeira, optou por “suspender toda a atividade dos escalões de formação até ao fim do mês de novembro”. “Esta decisão esteve também associada ao elevado número de ausências nos treinos por parte dos atletas e ainda às limitações horárias e logísticas para ocupação do pavilhão”, pode ler-se ainda na nota publicada.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here