AD Sanjoanense, 21 – SL Benfica, 32

Jogo no Pavilhão das Travessas.

Árbitros: Mário Coutinho e Ramiro Silva.

AD Sanjoanense/Delba: Guilherme Novo, Francisco Silva (9), Miguel Cortinhas (6), Gonçalo Fernandes, Lucas Santana, Tiago Antunes, Orlando Correia, Guilherme Silva, Bruno Pinho (1), David Ferreira, António Devile, Jefferson Bastos, Vinícios Carvalho (5), Ricardo Pinho.

Treinador: Nuno Silva.

SL Benfica: Sergey Hernández, Paulo Moreno (1), Arnau Garcia (4), Lazar Kukic (6), Matic Suholeznik (1), João Pais (2), Ole Rahmel (6), Gustavo Capdeville, Pedro Tonicher, Gabriel Cavalcanti, Belone Moreira (5), Pedro Loureiro, Carlos Martins (3), Luciano Silva (1), Petar Djordjic (3), Nyokas.

Treinador: Chema Rodríguez.

Ao intervalo: 10-15.

Frente a um dos candidatos, não se esperava um jogo fácil para a Sanjoanense, mas a equipa orientada por Nuno Silva entrou bem e conseguiu manter a partida equilibrada durante o primeiro quarto de hora, altura em que o Benfica começou a assumir o comando do encontro, para chegar ao fim com uma vantagem de 11 golos.

Com um percurso 100% vitorioso, o conjunto da Luz chegou a S. João da Madeira com intenção de manter a estatística, mas os alvinegros entraram sem receio e foi Francisco Silva, de livre de sete metros, que colocou os homens da casa no comando do marcador, resultado que se manteria inalterado ao longo dos sete minutos iniciais, fruto da boa exibição de Lucas Santana na baliza e de algum desacerto dos visitantes. O Benfica acabaria, no entanto, por chegar à igualdade (1-1) e, pouco depois, à liderança, mas durante o primeiro quarto de hora a Sanjoanense foi mantendo o jogo e o marcador equilibrados. Mas os homens de Chema Rodríguez acabariam por reagir e com um parcial de 6-0, resultado também de alguma falta de eficácia dos locais na finalização, chegavam aos 22 minutos de jogo a vencer por 6-12, diferença que se manteve praticamente até ao intervalo, com as águas a liderarem por 10-15.

Na segunda parte o Benfica entrou disposto a consolidar a vantagem e garantir que se mantinha invicto e nos cinco minutos iniciais aumentou o fosso para oito golos (11-19) fruto de um parcial de 1-4. A Sanjoanense não desistiu, mas um adversário mais forte, experiente e eficaz na finalização e na defesa fez com que a diferença no marcador se acentuasse, chegando aos 12 golos (19-31) a três minutos do final. No último ataque do encontro Vinícios Carvalho fechou a contagem nos 21-32.

Francisco Silva, da Sanjoanense, foi o melhor marcador do encontro, com nove golos, enquanto Lazar Kukic e Ole Rahmel do Benfica, apontaram seis cada um.

No próximo sábado os alvinegros deslocam-se ao recinto do Águas Santas.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here