PS repudia carta aberta do PSD

0
249

E reitera apoio ao presidente da câmara

Em comunicado enviado ao nosso jornal, o Partido Socialista (PS) lamenta profundamente que a presidente do PSD, através de uma carta aberta dirigida ao presidente da câmara, publicada nos jornais locais, “distorça e adultere o teor e o sentido de uma entrevista que o mesmo concedeu ao jornal labor”.

“A denominada carta aberta constitui, pura e simplesmente, um exercício desprovido de ética política destinado a enganar os leitores”, acusa Rodolfo Andrade, acrescentando que Susana Lamas se centra em três temas, “o que, por si só, perante a multiplicidade de questões que a entrevista do presidente da câmara abordou, exprime a incapacidade do PSD de reagir à dinâmica e às medidas que o atual executivo tem colocado em ação”.

“O PS NÃO DESVALORIZA, NEM NUNCA DESVALORIZOU, O TRABALHO DOS EXECUTIVOS ANTERIORES”, MAS…

Segundo o líder da concelhia do PS, “a responsável pelo PSD começa por minimizar a resolução de um problema que impedia a comercialização e utilização dos novos lotes da Zona Industrial das Travessas, relegando a questão para um plano burocrático menor”, quando “o PSD devia explicar, se assim fosse, a razão pela qual, podendo ter resolvido esse problema anos antes, não o fez”.

“Devia explicar a sua falta de iniciativa e os danos causados aos promotores e ao Município pelo bloqueio do investimento. Sendo, ademais, falso que as questões a dirimir fossem apenas de mero registo, como a presidente do PSD enganosamente refere – existindo, em verdade, várias matérias pendentes de solução -, acrescendo, ainda, mencionar, por exemplo, que foi neste mandato que se concluíram as infraestruturas elétricas (designadamente a instalação de PT’s e a ligação à rede de média tensão da EDP) e trabalhos de ligação do loteamento à rede de águas”, refere Rodolfo Andrade, prosseguindo: “Manda, por isso, a seriedade política que o PSD não falsifique a verdade, cabendo-lhe, antes, justificar aos empresários e aos eleitores os motivos pelos quais se decidiu inaugurar em 2016 uma infraestrutura inacabada”.

“O PS não desvaloriza, nem nunca desvalorizou, o trabalho dos executivos anteriores, mas cabe-lhe o dever de explicar as suas ações, o que foi feito”, sublinha ainda.

A propósito do tema da celebração de um contrato que regula a relação entre o Município e a empresa municipal de águas, também abordado por Susana Lamas “sem qualquer apego à verdade e sem respeito pelos seus leitores”, Rodolfo Andrade afirma que “a presidente do PSD diz, em síntese, que esse contrato é de fácil celebração porquanto o presidente da câmara é simultaneamente presidente da empresa de águas, bastando-lhe reunir consigo próprio”. Na ótica do socialista, “esta simplificação da realidade é profundamente desonesta”.

“Novamente, desde logo, a presidente do PSD não explica a razão pela qual, se assim fosse, tal contrato não tenha sido celebrado de 2010 a 2017, ficando tal herança para o PS”, justifica o presidente da concelhia, completando: “Ora, a presidente do PSD omite vários factos dos quais tem perfeito conhecimento: em primeiro lugar, que foi solicitada uma avaliação da empresa municipal a uma consultora externa; em segundo lugar, que o presidente da câmara desenvolveu uma negociação com o parceiro privado a quem o executivo do PSD alienou 49% do capital da empresa das águas municipais; em terceiro lugar, que o presidente da Câmara mantém contactos, reuniões e diligências com a ERSAR, a entidade reguladora do setor. Por fim, estranha-se a referência, completamente populista e demagógica, ao preço e à qualidade da água, como se a qualidade da água em S. João da Madeira apresentasse algum problema ou como se tivesse sido apanágio do PSD baixar o preço da água nos últimos anos. Cabe dizer, que os fins não justificam os meios”.

SUSANA LAMAS ACUSADA DE “PREPOTÊNCIA E INSENSIBILIDADE SOCIAIS”

“A presidente do PSD termina a sua carta da pior maneira possível, demonstrando a sua prepotência e insensibilidade sociais”, vinca Rodolfo Andrade, argumentando de seguida: “Truncando o sentido das palavras do presidente da câmara sobre uma importante medida de saúde levada a cabo pelos executivos socialistas da câmara e da junta de freguesia, minimiza e ridiculariza a instalação de uma cadeira de dentista e demais equipamento médico complementar no Centro de Saúde. Uma nova resposta social que permitiu que fossem dadas mais de 2.500 consultas de saúde oral. A utilidade da carta aberta da presidente do PSD é esta: ficaram os sanjoanenses a saber a razão pela qual, em 16 anos de poder, o PSD nunca criou esta valência”.

“O PS reitera o seu apoio ao presidente da câmara e saúda o trabalho por este desenvolvido e convida o PSD a abandonar a sua campanha de populismo e demagogia”, remata o líder do PS.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here