UD Vilafranquense, 2 – AD Sanjoanense, 1

Árbitro: José Gorjão, auxiliado por João Leiras e Pedro Sousa (AF Setúbal).

UD Vilafranquense: Tiago Martins, Marcos Vinícius, Stéphane Sparagna, Fernando Timbó, Vítor Bruno, Diogo Izata, Jefferson Santos, Rúben Gonçalves, José Varela, Vitinho, Rodrigo Rodrigues.

Suplentes: Bruno Ferreira, Diogo Coelho, Leo Cordeiro, André Dias, Kady Borges, Carlos Fortes, André Claro.

Treinador: João Tralhão.

AD Sanjoanense: Diogo Almeida, Aldair, Rúben, Godinho, João Oliveira, Diogo Barbosa, Ricardo, Paulinho, Danso, Zé Leite, Élder Santana.

Suplentes: Rui Mota, Sandro, Dinis, Mário Correia, Jean, Eecion, Moussa.

Treinador: Sérgio Machado.

Ao intervalo: 2-1.

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Danso (67’), Kady (77’), Vítor Bruno (90’+2’).

Marcha do marcador: 1-0 por Rodrigo Rodrigues (27’), 1-1 por Danso (31’), 2-1 por Rúben Gonçalves (43’).A Sanjoanense caiu na 3.ª eliminatória da Taça de Portugal, mas o Vilafranquense teve de suar e sofrer para seguir em frente na prova. Com uma exibição de qualidade, a equipa de S. João da Madeira não se retraiu frente ao adversário da II Liga, que entrou com vontade de assumir as despesas do jogo e após alguma pressão acabaria por inaugurar o marcador aos 27 minutos. Na linha de meio campo Fernando Timbó, com um passe longo, serve Marcos Vinícios na direita, que aproveita a desmarcação de Rodrigo Rodrigues e com um desvio rasteiro serve o brasileiro, que, à boca da baliza, só teve de empurrar para o fundo das redes.

A Sanjoanense não acusou a desvantagem e a resposta foi imediata com Élder Santana, numa investida pelo corredor esquerdo, a rematar forte, mas à trave.

O aviso estava dado e o golo da igualdade não demorou a aparecer. Quatro minutos volvidos Danso aproveita o mau alívio de Fernando Timbó, entra pela área, tira Stéphane da frente, e remata colocado para o 1-1.

Créditos: Direitos Reservados

O empate refletia o equilíbrio em campo, mas em cima do intervalo o Vilafranquense voltaria a colocar-se em vantagem, com Rúben Gonçalves a aproveitar um passe longo para o coração da área onde surge isolado frente a Diogo Almeida e, de cabeça, faz o segundo.

Na segunda parte a Sanjoanense lutou para chegar à igualdade e na última meia hora deixou por diversas vezes o Vilafranquense em sobressalto. Se Zé Leite ameaçou, mas atirou por cima, Paulinho obrigou Tiago Martins a “voar” entre os postes para segurar o empate. Já em tempo de compensação Rúben teve a oportunidade de levar o jogo para prolongamento, mas o capitão alvinegro, livre de marcação, cabeceou para cima.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...