Garante a câmara, em resposta a críticas de munícipes

 

Em 2020, comparando com os dois anos anteriores, a câmara gastou o mesmo em iluminação de Natal: cerca de 70 mil euros + IVA. “Não gastámos nem mais, nem menos”, garantiu o seu vice-presidente ao labor esta última sexta-feira de manhã, mostrando-se satisfeito por “a concorrência ter funcionado e termos conseguido mais pelo mesmo valor”.

Da parte da tarde, José Nuno Vieira voltaria a tocar no assunto, mas já em reunião de câmara, depois de interpelado pelo vereador da coligação PSD/CDS-PP: “O procedimento lançado este ano [de consulta prévia] foi igual aos dos anos anteriores”, bem como o “preço base”.

Este ano, o Município convidou seis empresas a apresentarem propostas, tendo vencido a Teixeira Couto, Lda., porque “avaliámos não só o preço, mas também a qualidade da proposta”, justificou o “vice”.

ILUMINAÇÃO “TAMBÉM É UM ESTÍMULO AO COMÉRCIO”

A empresa vencedora, além das “ruas obrigatórias”, assegurou a iluminação de outras ruas, “facultativas”. Segundo José Nuno Vieira, “há muitos anos que não tínhamos iluminação até às três entradas da cidade (Rua Oliveira Júnior, Avenida do Brasil e Avenida da Liberdade)”. Para além disso, “conseguimos manter a iluminação nos bairros, no Parque Municipal Ferreira de Castro, onde não existia, e o Largo de Santo António teve iluminação reforçada”, sublinhou o responsável político, em resposta a críticas de munícipes, inclusive de comerciantes, de que o nosso semanário teve conhecimento. Caso, por exemplo, de João Paulo Moreira.

O gerente do bar Pede Salsa referiu em edição anterior do labor, no âmbito da rubrica “Estado dos Negócios”, que S. João da Madeira podia seguir o exemplo “de outras câmaras que converteram o valor gasto com o Natal em apoio ao comércio e aos carenciados”.

José Nuno Vieira não partilha desta opinião. De acordo com o vice-presidente, “a iluminação de Natal também é um estímulo ao comércio, um dos fatores de atratividade”, em especial nesta fase de pandemia em que nos encontramos.

Quanto a novos apoios ao comércio de rua, informou que “estamos em conver- sações com a Associação Comercial” nesse sentido.

“GESTÃO AUTÁRQUICA E AS SUAS PRIORIDADES NÃO SÃO DA RESPONSABILIDADE” DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL

Questionado sobre as luzes de Natal, o presidente da ACIsjm – Associação Comercial e Industrial de S. João da Madeira recordou o que já havia dito em tempos ao nosso semanário. De acordo com Paulo Barreira, a ACIsjm “não é envolvida na iluminação nem na programação”.

É verdade que “alguns municípios optaram por reduzir a verba da iluminação de Natal e reforçar os apoios”, mas, como disse, “a gestão autárquica e as suas prioridades não são da responsabilidade da ACIsjm”.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here