Jorge Cortez recebeu das mãos da presidente da Assembleia Municipal (AM) uma “garrafinha” semelhante às garrafas reutilizáveis que já foram distribuídas por todos os alunos das escolas públicas e privadas do concelho.

Apesar de ter apreciado este gesto simpático de Clara Reis e de até ter ficado “um bocado agradado pelo bom design e pela sua utilização por ser uma garrafa reutilizável”, o membro da AM eleito pela CDU – Coligação Democrática Unitária não pôde deixar de reparar que a dita garrafa, “made in China”, “fez cerca de 10 mil km [até chegar a S. João da Madeira], gastando combustível e, portanto, não contribuindo nada esta viagem para o ambiente”. Em seu entender, “seria muito melhor utilizar produtos locais ou regionais”.

Chamou-lhe à atenção ainda o facto de no recipiente estar escrito “menos plástico, mais ambiente”. Ou seja, “afinal, a garrafa também é de plástico quando teríamos alternativas ao plástico”, defendeu Jorge Cortez.

“O foco é evitar o plástico de utilização única”

Trata-se, “de facto”, de “uma garrafa de plástico”, que foi feita na China, como, aliás, “imensos outros produtos que importamos”. Tal “nunca foi negado”, mas o que, segundo Jorge Sequeira, importa reter é que “o foco [do Município] é evitar o plástico de utilização única”.

Para o presidente da câmara, ao entregarem garrafas reutilizáveis “estamos a potenciar um dos três R’s da política ambiental [reutilizar]” e, “portanto, é essa a mensagem que queremos transmitir às nossas crianças”.

“O que é decisivo é a mensagem ambiental que se passa e o ganho em termos de redução de emissão de carbono que as nossas políticas globalmente têm vindo a fazer”, prosseguiu o autarca, lembrando ainda que a autarquia tornou os seus eventos em “eco-eventos”, através da introdução de bebedouros e copos reutilizáveis. Com esta medida foi possível, por exemplo, reduzir “mais de 1.000 garrafas de plástico” no Carnaval das Escolas”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...