6.000 Euros para reforço da manutenção e dos recursos humanos do albergue municipal

 

É o primeiro subsídio atribuído por uma câmara à Ani São-João aquele que, na passada terça-feira, foi aprovado por unanimidade em sede de executivo municipal.
“Isto é quase um marco”, disse em exclusivo ao labor a presidente da Associação dos Amigos dos Animais de S. João da Madeira, já à margem da reunião, referindo-se ao apoio financeiro camarário. Segundo Raquel Pinho, nunca tinham recebido “um único cêntimo [até hoje] atribuído por uma câmara”.
“Na sequência de diligências” feitas pelo vice-presidente do Município com a Ani São-João, como informou o autarca Jorge Sequeira, a associação defensora dos animais sanjoanense vai receber este ano 6.000 euros. Valor que, conforme se pode ler na proposta que foi votada esta semana, lhe permitirá “assegurar a resposta adequada ao elevado volume de solicitações” do Albergue para Animais Errantes cuja gestão passou a ser da sua responsabilidade, sob direção da veterinária municipal.
Este é, pois, um subsídio “destinado exclusivamente ao financiamento das atividades previstas na cláusula segunda do protocolo de colaboração de 9 de julho de 2020” celebrado entre a autarquia e a Ani. Ou seja, para ajudar a “suportar os encargos com alimentação dos animais, limpeza diária, medicamentos, desinfetantes e com o pessoal por si contratado”.
Para além da funcionária que já têm – “paga integralmente pela Ani e também
por beneméritos que nos apoiam” – Raquel Pinho e a sua equipa estão a pensar “ter uma pessoa [talvez] em part-time. E isto, “porque não conseguimos fazer tudo com voluntariado”, dado o “nível elevado de procura e de atividade do albergue municipal”, como explicou a dirigente associativa ao nosso jornal.
Ainda a propósito, Paulo Cavaleiro, da coligação PSD/CDS-PP, afirmou que “faz sentido que apoiemos esta instituição neste tipo de trabalho”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...