Na última reunião, Paulo Cavaleiro quis partilhar com a câmara queixas que a coligação PSD/CDS-PP recebeu relativamente aos “dejetos caninos que existem nos parques” da cidade.
De acordo com o vereador da oposição, “podia haver um reforço das soluções de apoio àquelas pessoas que são cumpridoras”. Aliás, tal como aconteceu no passado, quando fazia parte da maioria do executivo municipal, “era importante voltar a investir nesses equipamentos”, defendeu ainda.
O presidente do Município viria a tocar no assunto mais tarde, aquando da discussão e aprovação por unanimidade do projeto de Regulamento Municipal de Gestão e Conservação dos Espaços Verdes. Projeto esse que, como informou Jorge Sequeira, “será submetido a um período de 30 dias de consulta pública para que seja aqui novamente apreciado” e, depois, seja sujeito à deliberação da Assembleia Municipal.
Segundo o edil, “devemos cuidar ao máximo dos parques e com este quadro regulatório associado à criação da figura do fiscal do ambiente, que já está em via de execução, a câmara está habilitada a controlar e a gerir de forma mais eficaz e eficiente as condutas, a ocupação, a utilização e a fruição dos parques”. Está, aliás, “previsto um quadro sancionatório que punirá quem prevarica e quem viola as regras. Por exemplo, para quem deixar dejetos de animais nos parques está, aqui, agora prevista uma contraordenação”.
Jorge Sequeira disse esperar que “da consulta pública possam surgir contributos dos cidadãos, das associações, dos partidos políticos, de todos” para a elaboração final desta “ferramenta de gestão de muita importância e que auxiliará os serviços e a câmara a conservarem e a gerirem os nossos parques municipais”.

Livro sobre a biodiversidade do Parque do Rio Ul

Neste ponto da ordem de trabalhos, o autarca também deu nota de “ações de melhoria” que têm vindo a realizar, nomeadamente da colocação de nova sinalética no Parque Urbano do Rio Ul. E ainda a propósito deste que é o maior espaço verde da cidade, adiantou que “estamos a preparar a edição de um livro ligado à [sua] biodiversidade”. Obra que, “brevemente virá à luz do dia com fotografias do fotógrafo sanjoanense Eduardo Duarte que tem um espólio muito importante, um registo fotográfico muito importante da biodiversidade do parque”. “Será um documento para memória futura, para a educação ambiental, para a valorização do nosso parque”, sublinhou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...