O volume de investimento público e privado em S. João da Madeira ficou crivado de críticas por parte da coligação PSD/CDS-PP na última Assembleia Municipal.
A começar pela ampliação do campus do polo da Universidade de Aveiro, em Oliveira de Azeméis, que inclui uma fábrica do futuro e um espaço de incubação de startups e grow ups. Recordamos que o projeto tem previsto um orçamento de 50 milhões de euros, é constituído por 10 edifícios e será submetido a uma candidatura no âmbito dos fundos comunitários 2030.
“Considerando que o Município tem uma relação estreita com a Universidade de Aveiro, que integra a direção da Sanjotec, não é compreensível como não fizemos parte deste investimento”, afirmou o deputado Gonçalo Fernandes, acusando o presidente da câmara,
Jorge Sequeira, de não ter “capacidade” para que este fosse “um projeto intermunicipal que era bom para si, para a cidade, para Associação de Municípios das Terras de Santa Maria e para a região”. A oposição apontou o dedo ao estado de desenvolvimento da Sanjotec e à captação de novos investimentos. “Na Sanjotec temos um equipamento pensado para vários edifícios, mas neste mandato não aconteceu nada e faz com que
S. João da Madeira vá perdendo centralidade e dinâmica”. “No seu programa estava previsto uma Via Verde para o Investimento”, mas “o valor da ´portagem´ deve ser muito alto porque não chega cá nada”, provocou o deputado, observando que “não há instrumentos no Município que atribuam competitividade às empresas.
A plataforma de apoio aos investidores que queiram investir em S. João da Madeira, que é o espaço Empresa, tornou-se num espaço fantasma porque não funciona e não está lá ninguém e não há promoção do Município além-fronteiras com vista à captação de investimento no nosso concelho”. Para Gonçalo Fernandes “aquilo a que temos assistido é a uma saída constante de empresas do nosso concelho e à chegada de empresas aos nossos
concelhos vizinhos”, dando como exemplo a recente notícia da instalação do Centro de Logística da Rádio Popular em Santa Maria da Feira.
“Não é verdade que não há uma lógica intermunicipal. No desenho estruturado do projeto está escrito que há articulação com S. João da Madeira através da Sanjotec. Os espaços que estão pensados são de investigação e quando atingirem a fase de desenvolvimento
empresarial vão ser canalizados para a Sanjotec”, garantiu o presidente da câmara, defendendo que “a Sanjotec continua a trilhar um caminho de êxito e sucesso”. A ampliação do polo da Universidade de Aveiro para um terreno ao lado no mesmo concelho “não significa de modo algum uma derrota para S. João da Madeira. A política não pode ser vista assim”, considerou Jorge Sequeira, refletindo sobre o que diria o deputado Gonçalo Fernandes quando o presidente da câmara de então (Castro Almeida) “deixou que a
Universidade de Aveiro se instalasse em Oliveira de Azeméis e o Hospital em Santa Maria da Feira”.

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here