SC Braga, 2 – D. Sanjoanense, 1

Jogo no Pavilhão Desportivo Universidade do Minho.

Árbitros: José Moreira e Cristiano Santos.

SC Braga: Vítor Hugo, Ricardo Lopes, Víctor Silva, Miguel Ângelo, Bruno Cintra.

Suplentes: Marco Oliveira, Leandro Costa, Fábio Neves, Márcio Reis, Nicolàs Lachaga, Hebbert Bolt, Sérgio Costa, Bruno Soares.

Treinador: Bruno Guimarães.

Dínamo Sanjoanense: Babas, Xavier Moreira, Valter Batista, Nando Costa, Diogo Tavares.

Suplentes: Rui Capelas, Miguel Isolino, Bruno Moreira, Careca, Emídio Baptista, Pedro Gomes, Tiago Silva, Rúben Mateus, Pedro Sousa.

Treinador: Luís Almeida.

Cartão amarelo para Victor Silva (17’), Tiago Silva (30’), Pedro Sousa (31’), Diogo Tavares (33’), Bruno Cintra (33’), Miguel Ângelo (40’).

Marcadores: Valter Batista (5’), Fábio Neves (8’), Sérgio Costa (25’).

O Dínamo não conseguiu repetir o desfecho da primeira volta (5-2) e perdeu, pela margem mínima, na deslocação a Braga. Num jogo dividido, foram os locais que somaram os três pontos, mas o conjunto liderado por Bruno Guimarães deparou-se com um adversário aguerrido, motivado e com vontade de lutar pelo triunfo, dificultando o trabalho aos minhotos, que tiveram de esperar pelo apito final para festejar a vitória.

Sem medo de um adversário que ocupa um dos lugares de acesso ao play-off da Liga Placard, o Dínamo entrou à procura do golo. Foi o Braga o primeiro a ameaçar com um remate desviado pelo poste, mas seria o conjunto que viajou de S. João da Madeira a inaugurar o marcador. Diogo Tavares ainda tentou, mas foi Valter Batista, depois de ensaiar um pontapé à baliza, que, aos cinco minutos, colocava o Dínamo em vantagem no marcador com um remate rasteiro que passou por baixo das pernas de Vítor Hugo.

Com o golo os visitantes procuraram a tranquilidade, mas foram os minhotos que responderam e três minutos depois chegavam à igualdade, com Fábio Neves a desviar para o fundo das redes uma assistência de Bruno Cintra.

Os homens de Luís Almeida não acusaram o empate e voltaram a criar perigo, mas aos 11 minutos a lesão de Babas obrigava o técnico sanjoanense a uma alteração forçada. Rui Capelas assumiu o lugar e não demorou a ser chamado a intervir, primeiro negando o golo a Bruno Cintra e depois a Sérgio Costa. Entre os postes o guardião visitante dava confiança à equipa e perto do intervalo negava, mais uma vez, o golo ao Braga, desta feita a Ricardo Lopes, com uma excelente intervenção.

No regresso dos balneários os locais entraram como terminaram, a pressionar, e a insistência dos bracarenses acabaria por dar frutos logo aos cinco minutos, num lance em que Rui Capelas foi infeliz. Na tentativa de segurar o remate de Sérgio Costa, a bola passa por baixo do corpo do guardião e depois de embater no poste acaba desviada para o fundo das redes pelo pé do guarda-redes. Rui Capelas ainda se recompunha do desaire quando, pouco depois, viu a trave negar o terceiro dos locais.

Apesar da desvantagem, o Dínamo nunca atirou a toalha ao chão e com o encontro a caminhar para o final voltou a equilibrar o jogo e a ameaçar e aos 34 minutos Xavier Moreira esteve perto do empate, não fosse o remate sair direto ao poste da baliza de Vítor Hugo.

Sem nada a perder e na tentativa de chegar à igualdade, nos últimos minutos Luís Almeida apostou no 5×4 com Nando Costa como guarda-redes avançado, mas o marcador não voltaria a sofrer mais alterações.

No próximo sábado o Dínamo desloca-se ao recinto do Elétrico já depois de ontem à noite a equipa ter recebido o Modicus.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...