Os testes nas escolas não começaram hoje [16 de março]. Já estavam a ser feitos testes nas nossas escolas pela Cruz Vermelha. Já estão em curso há bastante tempo”, garantiu Jorge Sequeira, na reunião de câmara de terça-feira passada, respondendo a Paulo Cavaleiro que, uma vez mais, trouxe a público a questão da testagem à Covid-19.

Segundo o vereador da coligação PSD/CDS-PP, “devíamos estar a testar mais pessoas”, à semelhança do que está a acontecer em outros municípios portugueses. Caso, por exemplo, de Tondela, “que teve a capacidade de perceber que era muito importante o regresso [às aulas presenciais] com todos professores e colaboradores testados”.

Município não se limitou a fazer aquilo que era feito a nível nacional”

O autarca não tardou a dar a resposta ao membro da oposição, assegurando que “o Município não se limitou a fazer aquilo que era feito a nível nacional”. Pelo contrário. Desde o início da crise pandémica, diligenciou junto das entidades competentes para que existisse, primeiro, na região e, depois, também em S. João da Madeira, um centro de testes. Além disso, “também com muito empenho da câmara”, foram testados funcionários da Santa Casa da Misericórdia, ACAIS – Associação do Centro de Apoio aos Idosos Sanjoanenses e ainda bombeiros.

Na gestão da crise seguimos orientações das autoridades científicas e de saúde porque achamos que é assim que crise deve ser gerida”, deixou claro Jorge Sequeira.

Já o coordenador da Proteção Civil Municipal, à margem da reunião e em declarações ao labor, afirmou que, “independentemente do desconfinamento, nada acabou”.

Para Normando Oliveira, “o vírus continua a estar no seio comunitário e temos de continuar sem baixar a guarda e contribuir para o bem-estar de todos”. Aliás, na sua opinião, “a vacina não é o fim de nada, mas sim o princípio de alguma coisa”.

Pessoal docente e não docente do pré-escolar e do 1º ciclo testado esta última terça-feira

Os estabelecimentos de ensino pré-escolar e do 1º ciclo reabriram portas na última segunda-feira. Um dia depois, pessoal docente e não docente dos três agrupamentos de escolas (AE) da cidade foi testado.

Esta última terça-feira, no AE Oliveira Júnior, foram testadas 81 pessoas que já estão a trabalhar nos jardins de infância da Devesa, Travessas e Ribeiros e ainda nas escolas do 1º ciclo do Espadanal e dos Ribeiros, conforme adiantou ao labor Mário Coelho. Também segundo o diretor, o Laboratório Fernão Magalhães – Affidea foi o laboratório que fez os testes.

Quanto aos AE Dr. Serafim Leite e João da Silva Correia, é o Centro Médico da Praça (CMP) que tem a seu cargo a testagem. De acordo com o seu fundador Fausto Sá, até finais de abril, o CMP fará, no total, 2.714 testes, 1.304 no AE Dr. Serafim Leite e 1.410 no AE João da Silva Correia.

No caso do CEI – Centro de Educação Integral, será a Cruz Vermelha Portuguesa a fazer a testagem. Esta sexta-feira à tarde, serão testados “à volta de 20 colaboradores afetos ao pré-escolar e ao 1º ciclo”, informou o diretor Joaquim Valente, em declarações ao nosso jornal.

Em relação à vacinação, a suspensão da vacina da Astrazeneca em Portugal afetou o plano de imunização de docentes e não docentes, mas até ao momento tudo indica que o ensino presencial vai avançar como previsto.10

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...