Depois de dois meses e meio sem qualquer contacto físico e a “matar as saudades” através de telefonemas e videochamadas, eis que já se começa a “ver a luz ao fundo do túnel”. “Como consequência da conclusão da vacinação prevê-se o restabelecimento das visitas de familiares de utentes dos equipamentos residenciais”, avança a Santa Casa da Misericórdia (SCM) de S. João da Madeira em comunicado remetido ao labor, estimando, ainda, que tal suceda no próximo dia 22, após reunião da Mesa Administrativa.
Também de acordo com a nota de imprensa recebida pelo nosso semanário, o regime de visitas seguirá as restrições do período anterior aos surtos, com limitações na duração e no número de visitantes em presença simultânea, distanciamento físico e uso obrigatório de
máscara. Aliás, a SCM agradece, desde já, “a compreensão das famílias e dos amigos dos utentes residentes” face a eventuais “constrangimentos gerados por estas limitações”.

Centro de Acolhimento Temporário excluído do processo de vacinação 

Em cinco das seis casas residenciais da Misericórdia, de 19 de janeiro até 10 de março, foram administradas 419 vacinas, 182 das quais correspondentes à 2ª dose (89 em utentes e 93 em trabalhadores). A estes somam-se quatro utentes na semana em curso, “cujo quadro clínico requer que a administração se faça sob vigilância e em contexto hospitalar”.
A Santa Casa chama à atenção para o facto de em todo este processo terem sido excluídos os utentes e os colaboradores que tiveram Covid-19 depois de 28 de dezembro último. Além destes, também ficou de fora o Centro de Acolhimento Temporário (CAT), “que não foi referenciado para este processo por razões desconhecidas [até ao momento]”, à semelhança dos restantes CAT que existem no país. Entretanto, a SCM já enviou a lista dos trabalhadores que exercem atividade diretamente com utentes nas repostas sociais Creche, Pré-escolar, Centro de Atividades Ocupacionais, Serviço de Apoio Domiciliário e Centro de Dia com domiciliação de serviços ao Centro Distrital de Aveiro do Instituto de Segurança Social, esperando que a sua vacinação “se verifique em data próxima”.

Rastreios da Segurança Social estendem-se às creches e ao pré-escolar 

Confirmada a superação dos surtos infeciosos na instituição, prosseguiram os rastreios coordenados pelo Centro Distrital de Aveiro do Instituto de Segurança Social. Na semana de 8 a 15 de março, foram rastreados 10 funcionários, tendo todos testado negativo.
Entretanto, estes rastreios vão estender-se, igualmente, às creches e ao pré-escolar, estando a primeira testagem prevista para esta semana. O segundo teste sucederá volvidos 14 dias, enquanto o terceiro ocorrerá “em função da incidência cumulativa no concelho da resposta social”, conforme aquele organismo refere em comunicação enviada.
Da Misericórdia sanjoanense serão implicados nos rastreios quatro creches e três estabelecimentos de ensino pré-escolar, onde exercem funções 81 pessoas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Loading Facebook Comments ...